PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Maradona ataca Sampaoli e diz que Messi está sozinho na seleção argentina

John Sibley/Reuters
Imagem: John Sibley/Reuters

Do UOL, em São Paulo

31/10/2017 16h14

Classificação e Jogos

De seleção argentina, Maradona entende bem. Além de ter comandado as conquistas das duas únicas Copas do país, o ex-jogador também já foi técnico do time principal entre 2008 e 2010. Por isso, ele se dá o direito de fazer as críticas duras que acha necessárias. Elogios? Só para Messi.

"Eu tive a sorte de ver o 'Lío' [apelido que usa para Lionel Messi] na entrega dos prêmios The Best [da Fifa] e ele está esplêndido. Eu o vi muito bem, pleno e acompanhado de sua esposa grávida. Mas nunca gostei dos outros", começou Maradona, pronto para o ataque, em entrevista ao Clarín.

Vale lembrar que a Argentina está garantida na fase de grupos da Copa do Mundo de 2018, mas a campanha extremamente irregular nas Eliminatórias quase deixou a seleção sem a vaga. "Quando Sampaoli foi chamado para a seleção, se esqueceu de mim. E com gente que é falsa, medíocre e crê ser maior do que realmente é, eu jamais concordaria", criticou.

Sampaoli - Victor R. Caivano/AP - Victor R. Caivano/AP
Sampaoli teve trabalho para classificar Messi e companhia à Copa do Mundo
Imagem: Victor R. Caivano/AP

O presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Claudio Tapia, é outro que não cai nas graças do ídolo argentino, que vê Daniel Angelici, presidente do Boca, como o melhor dirigente esportivo do país. E acusa: “eu sei que a Fifa está perdoando coisas muito feias aqui [sobre Tapia e a AFA]. Sou mais argentino que todos e não vou atirar contra o meu país, mas já me ameaçaram pelas denúncias que fiz. Mais de um disse que me mataria. Não tenho medo”.

O encontro entre Maradona e Messi na premiação da Fifa foi amplamente registrado pelos fotógrafos e comentado na internet. “Eu disse que o amo muito e que, para mim, ele é grande. Não precisa ganhar uma Copa do Mundo para ser grande. Ele já o é”, elogiou. “Ele está sozinho. Não há um jogador que entenda o Messi na Argentina. O mais próximo disse é o Kun [Agüero]. Dybala é um grande jogador, mas está em outra velocidade e pensa que pode jogar como na Itália”, analisou.

Quem seria o nome ideal para jogar ao lado de Messi, então? “Eu jogaria ao lado do Messi! É uma pena que tenho 57 anos [recém-completados] e não posso... Mas não há outro. Colocaram Tevez na cruz e não sei por que, já que é um fenômeno. Antes, os técnicos da Argentina tinham dúvidas quanto a um ou dois jogadores. Agora, temos o Messi e depois quem? Não estamos fazendo as coisas bem”, criticou o ídolo Maradona.

Futebol