PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Máfia de apostadores tentou arrendar um clube para facilitar manipulações

Divulgação/Rio Preto
Imagem: Divulgação/Rio Preto

Bruno Thadeu

Do UOL, em São Paulo

26/10/2017 15h10

Apontado pela polícia como o líder no país de uma rede de apostadores no futebol, Anderson da Silva Rodrigues declarou à Justiça que a quadrilha tentou arrendar um clube. A aquisição de um time de futebol serviria para facilitar combinações de resultados. 

Anderson aceitou fazer delação premiada, conseguindo liberdade assistida. A colaboração foi anexada ao processo que tramita na Justiça de São Paulo.

O relato de Anderson à Justiça foi noticiado no “Globoesporte” e confirmado pelo UOL Esporte. Os “patrões” dessa rede de apostadores residem na Malásia, sendo identificados como Jawahir e Zulkifa.

Em julho do ano passado, a Polícia Civil prendeu sete pessoas acusadas de integrar quadrilha que operava na manipulação de resultados de futebol.

As prisões integram a Operação Game Over, que investiga a interferência de apostadores asiáticos em resultados de jogos.

Segundo a polícia, um grupo de apostadores asiáticos acionava dirigentes e atletas de divisões inferiores oferecendo dinheiro em troca de combinação de resultados. Os apostadores procuravam os campeonatos das séries A-2 e A-3 do futebol paulista, além de torneios da elite de Norte e Nordeste.

Asiático ofereceu R$ 160 mil para comprar jogo 

A polícia foi informada de que Anderson esteve em 2016 no treino do América-SP. Inicialmente se dizendo torcedor, ele assistiu ao treino e procurou a presidência do time de Rio Preto alegando ter uma proposta financeira.

Acompanhado de um empresário asiático, Anderson teria feito a proposta de manipulação de resultado do América, pedido negado pelo clube

O esquema

Para não chamar a atenção, os apostadores procuravam campeonatos com menor visibilidade (Séries A-2 e A-3 do Paulistão). Além disso, apostadores acionavam clubes pequenos que possuem grandes dívidas, o que facilitaria a aceitação de dinheiro sujo.

Em março de 2016, o UOL Esporte publicou matéria sobre o jogo Rio Preto 4 x 0 Barueri. Atletas do Barueri contrários à manipulação de resultados denunciaram à reportagem que houve pedido da diretoria para que o time perdesse por goleada. Essa partida é investigada pela polícia civil.

Às vésperas da partida, dirigentes do Barueri se reuniram com empresários ligados aos supostos apostadores. Essa partida é investigada pela polícia civil.

Os jogadores do Barueri relutaram em “entregar” a partida por goleada, mas o time acabou sofrendo o quarto gol para o Rio Preto.

Futebol