PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Torcedor é assassinado em rixa de torcidas organizadas na Paraíba

Roberto Oliveira

Colaboração para o UOL, em Recife

24/10/2017 17h04

O torcedor do Campinense José Carlos da Silva Celestino, 21 anos, foi torturado e assassinado com cinco tiros na tarde de segunda-feira (23), em Campina Grande, agreste paraibano. 

A principal suspeita é que o crime tenha sido uma retaliação de torcedores do Treze, na esteira de um rixa entre duas torcidas organizadas dos principais clubes da cidade. A informação foi divulgada pelo GloboEsporte local e confirmada pelo UOL Esporte

Segundo a Polícia Civil, José Carlos - ligada à Facção Jovem - havia ajudado a espancar um torcedor rival - da Torcida Jovem do Galo - no dia anterior, domingo (22). O espancamento foi filmado e divulgado na internet nas primeiras horas de segunda. 

"Ele [a vítima] era torcedor do Campinense e havia agredido o rapaz do Treze. Nisso produziram um vídeo divulgado nas primeiras horas de ontem [segunda]. Os familiares o aconselharam a deixar o bairro, alegando que a divulgação do vídeo poderia ser motivo de represália, mas ele disse que não deixava o bairro e que se fosse para morrer pelo time, morreria satisfeito. A família disse que já esperava [a retaliação], só não com essa brevidade", relatou o delegado do Departamento de Homicídios, Francisco de Assis, à reportagem. 

"Aconteceu à tarde. Dois elementos, encapuzados, entraram na casa dele e, antes de realizarem os disparos, agrediram, esbofetearam, cortaram os punhos, orelhas. Em seguida efetivaram cinco tiros, um no pescoço e quatro na região bucal. Com ele já morto, arrastaram o corpo para fora e cobriram com o uniforme do Campinense", detalhou Assis, em mais um indício de que o motivo do crime foi a briga de torcidas. 

Questionado sobre o paradeiro dos suspeitos, o delegado da Polícia Civil disse que as investigações estão em curso, mas preferiu não detalhá-las. "Até agora não temos informações sobre a autoria, as investigações seguem nesse sentido."

Futebol