PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Algoz do São Paulo em 2016 ressurge no Inter após um turno 'esquecido'

Roberson não teve muitas chances na temporada e termina 2017 com futuro incerto - Divulgação/SC Internacional
Roberson não teve muitas chances na temporada e termina 2017 com futuro incerto Imagem: Divulgação/SC Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/10/2017 04h00

Guto Ferreira surpreendeu muitos colorados quando, no segundo tempo do jogo contra o Boa Esporte, chamou Roberson para entrar. Esquecido no elenco, o algoz do São Paulo no ano passado já ocupou quatro funções no time, mas não conseguiu se firmar. Teve propostas para sair, mas o Internacional rejeitou todas e manteve ele como alternativa pouco utilizada.

Não foram apenas os dois gols contra o São Paulo, que tiraram o time paulista da Copa do Brasil do ano passado, que chamaram a atenção do Inter em Roberson. Uma temporada 2016 muito boa, com gols e assistências pelo Juventude, fizeram o time de Porto Alegre assinar por dois anos com ele. Pesou também a influência do técnico Antonio Carlos Zago, que havia comandado o jogador no ano anterior.

Só que foram poucos os momentos como titular. Roberson fez bons jogos, principalmente no Gre-Nal do Campeonato Gaúcho, mas jamais conseguiu uma sequência na equipe de cima. Ao todo, soma 25 jogos e três gols no ano. Foram 14 no Gauchão, três na Primeira Liga, três pela Copa do Brasil e apenas cinco na Série B, contando já os minutos em campo diante do Boa. Fazia exatamente um turno que ele não entrava em campo na competição. A última aparição tinha sido exatamente contra os mineiros.

Polivalente, Roberson tentou em várias posições. Com Zago, foi armador no 4-3-2-1 montado pelo treinador e também atuou no comando do ataque. Com Guto Ferreira, jogou aberto pelos lados e na última terça entrou como central, na vaga de D'Alessandro.

O baixo aproveitamento ficou claro quando o time perdeu Damião e poderia dar chance a ele. No time reserva, é sempre Roberson que ocupa o comando do ataque, com Nico López aberto pelos lados, na posição que originalmente é de Pottker. Porém, Guto Ferreira preferiu mexer em dois lugares, mudou a função de Pottker e colocou Nico em vez de simplificar.

Propostas rejeitadas

Por mais curioso que pareça, enquanto Roberson esteve fora do time o Internacional foi procurado por ao menos quatro equipes querendo sua contratação. O primeiro foi o Juventude, que ofereceu proposta de empréstimo até o fim do ano rejeitada pela direção vermelha. Em seguida vieram Atlético-GO, Avaí e Chapecoense. Nenhum acordo aconteceu.

Aos 28 anos, ele tem contrato com o Colorado até o fim do ano que vem, mas a permanência no time vermelho é incerta. 

Futebol