Topo

Futebol


Aliança de 137 diamantes e limusine top; as doações ao casório de Follmann

Follmann vai se casar com Andressa e terá 50 fornecedores que não cobraram - Reprodução/Instagram
Follmann vai se casar com Andressa e terá 50 fornecedores que não cobraram Imagem: Reprodução/Instagram

Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

19/10/2017 04h00

Jakson Follmann vai se casar. Quase um ano depois do trágico acidente em que sobreviveu, ele vai celebrar não só o amor, mas também a segunda chance que ganhou na vida com sua noiva Andressa. E vai ter um casamento de arromba com tudo a que tem direito. Os noivos ganharam a festa toda de presente por meio de doações até de artigos de luxo como alianças com 137 diamantes e uma limusine ‘top’ para levar a noiva ao altar.

A festança vai acontecer nesta sexta-feira, em Chapecó, e custará cerca de R$ 800 mil. Os noivos vão trocar alianças na Catedral Santo Antônio, a principal da cidade, e depois vão dançar a noite toda em um salão de festa da cidade junto com seus 400 convidados.

Os fornecedores não pouparam esforços para agradar os noivos. O luxo já começa na chegada à igreja. Uma limusine do modelo ‘asa de gaivota’, uma das mais cobiçadas do mercado em que as portas abrem para cima, será responsável pelo deslocamento da noiva. O automóvel sai especialmente de São Paulo na manhã desta quinta-feira e percorrerá 880 km até Chapecó para ficar à disposição dos pombinhos.

O vestido da noiva, claro, é uma atração à parte. Terá nada menos que 12 mil cristais Swarovski e foi confeccionado pela Casa Assuf, há 70 anos no mercado. As alianças representam outro ponto alto das bodas. Fornecidas pela Casa do Joalheiro, elas contam com 137 pontos de diamantes e ainda têm importância sentimental para o casal. Os dois já usavam alianças desde o ano passado e, na época do acidente, o anel de Follmann foi encontrado todo amassado e entregue em um saquinho à Andressa quando ele ainda estava internado. 

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

“Eles não queriam se desfazer da aliança e então tivemos uma ideia. Derreter as duas alianças em ouro e complementar com mais ouro. E eles escolheram o novo modelo com 137 brilhantes. A aliança tem toda uma história. Eles fizeram um vídeo de todo esse procedimento que será entregue a eles junto com o anel”, conta Monica Freitas, diretora da Expo Noivas, empresa responsável por organizar todo o evento.

A empresa Expo Noivas mobilizou seus parceiros e conseguiu nada menos que 50 fornecedores, que se disponibilizaram a colaborar sem cobrar nada pelos serviços. Mas isso não quer dizer que os noivos não tenham escolhido tudo. Pelo contrário.

Follmann, por exemplo, fez questão de cuidar de cada detalhe e se mostrou diferente da maioria dos noivos que não se interessa pelos preparativos. Em alguns momentos foi até mais participativo que a noiva. Pediu, por exemplo, para que o buffet apresentasse o prato ‘polenta com ragu de cordeiro’, já que ele adora polenta. Ainda serão servidos salmão e filé mignon.

A variedade de doces também chama a atenção. O bolo terá tratamento digno de noiva e viajará direto do Rio de Janeiro em uma câmara frigorífica para chegar intacto em Chapecó. Os bem casados também estão garantidos, assim como pães de mel e brownies. Até sorvete da marca gourmet Diletto será servido direto na pista de dança para os convidados fãs de guloseimas.

A decoração será assinada por Daniel Claret. A Catedral Santo Antônio será toda forrada com uma passarela com espelho. O salão terá a predominância dos tons em bege e com flores que coloridas para dar um tom rústico-chique ao ambiente, estilo que tem mais a ver com a personalidade simples do casal. Cada detalhe foi pensado. Até as argolas dos guardanapos serão de madeira pintadas de dourado com um alecrim, que é uma homenagem à terra natal de Follmann no Rio de Grande do Sul. O alecrim estará presente até no brasão que será estampado no bolo.

Follmann também deu pitaco na música. Já na igreja, um coral com 30 vozes embalará todos os momentos da cerimônia. Na festa, como se não bastasse um show, haverá vários. Estão previstas apresentações de saxofone, violino e ainda uma banda sertaneja. Mais um pedido do noivo, prontamente atendido pela organização da festa. Mas o que promete ser mais legal é a dança dos noivos ao som de uma música da cantora americana Meghan Trainor.

Claro que o sonho sai caro. Se os noivos colocassem a mão no bolso, gastariam cerca de R$ 800 mil para fazer uma festa deste nível. Não à toa, Follmann tem feito questão de agradecer muito aos fornecedores e, por isso, vem divulgando os patrocinadores em suas redes sociais. Na festa, também haverá um backdrop como forma de divulgar as marcas.

Há 23 anos no ramo, Monica não considera o preço excessivo. “Não é dos mais caros. Não é astronômica, é muito menos do que outros teriam. Já vi casamentos que custaram R$ 8 milhões”.

Monica Freitas fez questão de organizar tudo de perto. Ela se envolveu com a festa e decidiu ajudar os noivos desde o início do ano quando viu no telejornal uma matéria em que Follmann andava pela primeira vez com a prótese e dizia que tinha o sonho de se casar com a namorada. A celebração havia sido adiada pela tragédia. Por coincidência, a assessora de imprensa da Expo Noivas era a mesma da clínica onde Follmann fez seu tratamento, o que facilitou o processo.

“O mais marcante neste casamento será a emoção. O casamento em si já celebra o amor entre um casal, mas agora será também a celebração da vida, do renascimento, depois de toda a tragédia, isso mostra que a vida continua. Foram meses muito gratificantes, muito prazerosos, com muito carinho, muito amor. Ele é uma pessoa muito iluminada, com alto astral. Depois de tudo, ele fala da tragédia sem nenhum trauma e agradece a Deus sempre por ter sobrevivido. Ele passou por isso e é vida que segue, é uma lição”, conta ela.

Futebol