PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Reunião com cerveja e adiamento de cirurgia desgastam Sassá no Cruzeiro

Sassá, atacante do Cruzeiro, está sem jogar por lesão e criou mal-estar no clube - © Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro
Sassá, atacante do Cruzeiro, está sem jogar por lesão e criou mal-estar no clube Imagem: © Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

18/10/2017 04h00

Afastado dos gramados há mais de um mês por conta de uma lesão no joelho direito, Sassá está dando as primeiras dores de cabeça ao Cruzeiro. Dono de um longo histórico de problemas extracampo, o atacante desmarcou uma cirurgia em cima da hora e esteve em uma reunião regada a cerveja e narguile (espécie de cachimbo à base de água), causando mal-estar no clube celeste. 

Sassá está fora de ação desde 10 de setembro e seria submetido a uma cirurgia na cartilagem do joelho direito no dia 14 de outubro. Um dia antes, porém, pediu que a intervenção fosse adiada e viajou ao Rio de Janeiro sob o pretexto de visitar um médico de confiança para ouvir uma segunda opinião. A diretoria atendeu o pedido do atleta, mas a contragosto.

O problema é que, no mesmo fim de semana, foram divulgadas fotografias do jogador em uma festa com amigos. A reunião contou com várias garrafas de cerveja e até um narguile. Pessoas ligadas ao jogador informam que o fato ocorreu em outra data - mais precisamente em 11 de outubro, como mostra a própria imagem. O adiamento da cirurgia não tem ligação com a festa, mas a sequência de fatos serviu para ligar o alerta do clube de Belo Horizonte.

Sassá levou um puxão de orelha de superiores na Toca da Raposa II, sobretudo por ser reincidente. Membros de diretoria e comissão técnica repreenderam o jogador por conta do deslize e pediram para que ele evite desgastar sua imagem em situações como a atual - impedido de atuar há mais de um mês. A bronca no atleta, avalizada por Mano Menezes e pelo ex-presidente Gilvan de Pinho Tavares, foi por se expor em um momento delicado.

Indignado com a repercussão do fato, Sassá utilizou o seu perfil no Instagram para mandar um recado aos críticos. Com uma camisa semelhante à usada por Adriano, em 2009, quando defendia o Flamengo, o jogador publicou a mensagem em sua rede social: "Que Deus perdoe essas pessoas ruins".

Sassá, atacante do Cruzeiro, reclama de críticas por comportamento extracampo - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Sassá, atacante do Cruzeiro, reclama de críticas por comportamento extracampo
Imagem: Reprodução Instagram

Em 18 de agosto passado, ele se envolveu em uma confusão na capital mineira durante o show da dupla Marcos e Belutti, na balada Wood's. No local, um professor acusou Sassá e seus amigos de o agredirem. Ele chegou a fazer boletim de ocorrência. Na ocasião, como agora, o atacante escapou de uma punição e levou apenas uma bronca na Toca da Raposa II.

Embora seja o segundo problema extracampo de Sassá em Minas Gerais, o clube optou somente por uma advertência por se tratar de um fato "brando". O mal-estar tem a ver com o histórico de Sassá. Antes de deixar o Botafogo para chegar ao Cruzeiro, o atacante prometeu a Mano Menezes e ao presidente Gilvan de Pinho Tavares que não cometeria os mesmos erros do período em que esteve em General Severiano. O péssimo comportamento extracampo foi fundamental para a saída do clube carioca.

A paciência dos mineiros com Sassá é reduzida aos poucos, e a cúpula passa a cobrar um comportamento melhor do atleta. O que justifica a tolerância com o jogador é o bom desempenho enquanto esteve em campo. Em 17 partidas, o atleta marcou sete gols.

Futebol