PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Contra o tempo: 10 jogadores lutam para seguir nos planos do Inter em 2018

Carlinhos sofreu com lesões, ficou três meses fora do time e agora precisa provar - Ricardo Duarte/Inter
Carlinhos sofreu com lesões, ficou três meses fora do time e agora precisa provar Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

29/09/2017 04h00

A temporada 2017 ainda não chegou ao fim e o objetivo de voltar à primeira divisão é latente no Beira-Rio. Mas o ano que vem está cada vez mais em debate na direção vermelha e branca. Enquanto alguns jogadores estão garantidos nos planos do clube, outros usam os últimos momentos da temporada para ir além dos objetivos coletivos e conseguir mais um ano como alternativa válida.

Não é fácil se manter em um grande clube. Jogadores que ficam fora do time principal acabam perdendo espaço e precisam usar os poucos minutos de chance que recebem e muitos treinamentos para comprovar valor.

"No início do ano, as contratações que fizemos quando montamos o grupo também foram pensando em 2018. Creio que 70%, ou um pouco mais que isso, dos jogadores, farão parte do nosso grupo no ano que vem. Não precisaremos reformular e passar pelas dificuldades que passamos neste ano. Temos que valorizar este grupo, temos um grupo pronto para o acesso e o ano que vem também", disse o vice de futebol Roberto Melo.

São casos dos 10 atletas que mais terão trabalho para agradar o técnico Guto Ferreira, que fica para o ano que vem, e a direção vermelha. Confira a situação de cada um no grupo vermelho.

De Ortiz a Carlinhos: Defesa e lateral em debate

Léo Ortiz gol contra Internacional Palmeiras - Ale Cabral/AGIF - Ale Cabral/AGIF
Léo Ortiz lamenta após anotar o gol contra no Allianz Parque
Imagem: Ale Cabral/AGIF

Com segurança de uma dupla titular firmada: Klaus e Cuesta, a volta de Ernando como opção válida e a contratação por três anos de Danilo Silva, dois nomes do centro da zaga estão sob análise. O primeiro deles é Léo Ortiz, que chegou a ser titular no início da temporada, mas falhou em alguns jogos, perdeu espaço e tornou-se suplente. Hoje é um dos últimos da fila por chances e não seria estranho se fosse liberado para empréstimo no ano que vem. O segundo é Thales, que foi chamado de volta de empréstimo ao CSA-AL e logo passou a ser relacionado. Com contrato perto do fim, mais do que ficar no grupo, o fim do ano vale mais um período de vínculo.

Na lateral direita, dois jogadores vivem momentos distintos mas situações semelhantes. Enquanto Claudio Winck virou titular do time e renovou contrato automaticamente por mais um ano, o debate sobre sua condição clínica voltou à tona com os dois jogos perdidos por força de uma contusão na coxa esquerda. Enquanto isso, Alemão ganhou chance e resgatou a expectativa do momento de sua contratação. Ele chegou para ser o substituto de William, vendido ao Wolfsburg-ALE, mas não conseguiu jogar no primeiro semestre por conta de lesões. 

Na esquerda, Carlinhos é outro caso a ser sublinhado. O ex-jogador do São Paulo tem contrato até o fim do ano e não vem sendo aproveitado. Jogará neste sábado por força da suspensão de Uendel, mas ao mesmo tempo que ficou um bom tempo lesionado, viu o crescimento do jovem Iago, que ganhou espaço. Sua permanência é incerta. 

Antes de se lesionar, Carlinhos vivia bom momento com a camisa do Internacional. O jogador, que fez a sua estreia pelo Colorado na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, pela Primeira Liga, chegou a ficar invicto 12 partidas (sete vitórias e cinco empates), período que foi titular com a camisa do clube gaúcho.

Alex Santana, Diego, Roberson e Carlos

Carlos abriu o placar para o Internacional contra o Náutico - Jeferson Guareze/AGIF - Jeferson Guareze/AGIF
Imagem: Jeferson Guareze/AGIF

De volta de empréstimo do Paraná e após um período afastado por indisciplina, Alex Santana pouco jogou. O meio-campista é frequente no banco de reservas e não conseguiu mudar totalmente o status frente à comissão técnica. Já Diego e Roberson deixaram de ser primeiras opções e hoje lutam por uma vaga como suplentes. O primeiro tem boas chances de deixar o clube por empréstimo e o segundo já foi alvo de uma série de clubes, mas ficou. Carlos, por sua vez, tem contrato de empréstimo se encerrando e por não ser titular o Inter não irá exercer a cláusula de compra de seus direitos junto ao Atlético-MG. Ou o Galo mantém o vínculo da mesma forma, ou recebe ele de volta.

O problema é o preço

Felipe Gutiérrez treina entre os titulares do Internacional para próxima partida - Ricardo Duarte/Inter - Ricardo Duarte/Inter
Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Felipe Gutiérrez fecha a lista dos que tem que convencer em 2017. O chileno, porém, é repetidamente atrapalhado por convocações para sua seleção. Perde espaço a cada saída e não consegue ritmo de jogo com os companheiros. Reserva do time, ainda pesa para saída dele o alto valor para compra. São 2 milhões de euros (R$ 4,7 milhões) que precisam ser depositados na conta do Bétis, da Espanha, para ele ficar. Pouco provável.

Futebol