PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sem jogar desde Ceni, Lugano é elogiado por Dorival: "fundamental"

Lugano não jogou nenhuma partida sob o comando de Dorival Júnior - Mauro Horita/Estadão Conteúdo
Lugano não jogou nenhuma partida sob o comando de Dorival Júnior Imagem: Mauro Horita/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/09/2017 15h10

Em 2 de julho, Rogério Ceni ainda era o técnico do São Paulo e Diego Lugano entrava pela última vez para defender o Tricolor. Desde então, passaram-se 14 partidas do Campeonato Brasileiro e o uruguaio não entrou em campo um minuto sequer. Arboleda e Rodrigo Caio se firmaram como dupla titular, Militão foi testado e Bruno Alves, contratado em agosto, já tem dois jogos. O uruguaio não é aproveitado, mas vê o técnico Dorival Júnior defendê-lo.

"Lugano tem sido fundamental em todo esse processo. É uma pessoa que me surpreendeu pela postura, por ser um jogador que defendeu uma seleção sul-americana por três Copas do Mundo (na verdade, duas: 2010 e 2014). Não é para qualquer um. É um profissional acima da média em relação à postura, à liderança. É um jogador que tem sido fundamental no dia a dia, pelo exemplo que tem dado", exaltou o  treinador em entrevista ao SporTV.

Na temporada, Lugano soma 11 atuações, sendo quatro pelo Brasileirão. Em junho, enfrentou novela para ter o contrato renovado até dezembro deste ano, mas só jogou uma vez sob o novo vínculo: em 2 de julho, sua última atuação, foi titular na derrota por 2 a 0 para o Flamengo. Tanto com Ceni e agora com Dorival, o uruguaio sai atrás da concorrência por não ter o hábito de sair jogando sem chutões. O estilo do time e do zagueiro, para os treinadores, não se encaixa.

"Ele está entendendo o momento da equipe, a própria situação. Fiz a opção por um ou outro nome em detrimento dele (contra Ponte Preta e Vitória, o recém-chegado Bruno Alves teve a preferência), mas ele sabe que ainda assim tem sido fundamental. Por isso, tenho um grande respeito pelo profissional que é", completou Dorival.

No atual elenco do São Paulo, Lugano, com 212 jogos, só não defendeu mais o clube do que Rodrigo Caio (241) e Hernanes (231). O camisa 5 ainda tem 13 gols pelo Tricolor, além dos títulos do Campeonato Paulista, da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes, todos em 2005, e do Campeonato Brasileiro de 2006. A passagem atual teve início em janeiro de 2016 e deve terminar no fim desta temporada.

Futebol