PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Vampeta e Sampaio estreiam no teatro e brincam: "Ator é Antônio Fagundes"

César Sampaio e Vampeta fazem o stand up "2 Santos & 2 Nem Tanto" - Divulgação
César Sampaio e Vampeta fazem o stand up '2 Santos & 2 Nem Tanto' Imagem: Divulgação

Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

31/08/2017 04h00

Vampeta e César Sampaio brilharam nos gramados no fim dos anos 90. Fora das quatro linhas, já desempenharam várias profissões como comentaristas, dirigentes e até presidente de clube. Agora eles estreiam em uma nova função bem diferente de tudo que já viveram. Vão estrear no teatro e fazer o que mais gostam: contar causos da época de jogador.

Quem acompanhou os dois em campo, agora terá a chance de vê-los de perto no stand up ‘2 Santos & 2 Nem Tanto’ que mais parece uma resenha. Os ex-jogadores querem um bate papo bem informal e próximo do púbico sem roteiros definidos ou falas decoradas. E eles já avisam: "Não que a gente seja ator, isso é para Antônio Fagundes", brinca Vampeta.

“O que eu e o Sampaio estamos fazendo aqui não é bem um stand up, estou procurando encarar como uma resenha com o público para contar histórias. É um bate papo engraçado, não é stand up. Aí não tem como ganhar do Batoré, ganhar do Tiririca. Um bate papo sobre futebol com algumas coisas dos bastidores da nossa infância, começando a carreira. É bom ter esse contato com o torcedor, com o público que gosta da gente”, disse.

“Não tem roteiro. Porque se tiver roteiro e falas ensaiadas eu já nem venho aqui, já vazo logo. Não vou acertar nada, aí não vai dar certo. Não pode ser tão programado. Só precisamos saber onde vamos entrar, nos posicionar para que a diretora também faça alguma coisa, né?”, brinca.

César Sampaio e Vampeta contam histórias do futebol no stand up '2 Santos & 2 Nem Tanto' - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Velhas histórias e 'batismo' de Sampaio

O UOL Esporte acompanhou um dos ensaios da ‘peça’ no Teatro Gazeta. Sentados em um sofá, os dois relembram casos já conhecidos como as cambalhotas de Vampeta na rampa do Palácio do Planalto após o pentacampeonato e como foi para Sampaio acompanhar de perto Ronaldo tendo uma convulsão bem na final da Copa de 1998. Mas eles prometem muitas outras históricas desconhecidas e até cabeludas.

Para arrancar boas risadas do público, Vampeta e César Sampaio contam com a sintonia de quase 20 anos de amizade. Os dois são muito amigos desde o fim dos anos 90 quando foram adversários e também companheiros na seleção brasileiro. É esse entrosamento que eles pretendem levar para o palco que também contará com os jornalistas Bruno Prado e Flávio Prado atuando como condutores.

O estilo ‘engraçadão’ de Vampeta já é conhecido. Mas César Sampaio sempre foi mais sério, até por ter sido capitão na maioria dos clubes onde passou. Não à toa, o ex-atleta gosta de contar histórias apenas para pessoas próximas, mas tem dificuldades de se abrir diante do público. Ele admite que a exposição tem sido um desafio.

“Estou sendo batizado no teatro. Vou falar para você que até aceitar a ideia demorou um pouco, mas é legal. Ali você fica muito exposto. Eu prefiro jogar final de Copa do Mundo no Maracanã lotado do que ficar ali”, brinca. “Você sai da sua rotina, você faz o novo, tudo o que é primeira vez traz uma insegurança. Mas ainda bem que tivemos o Flávio e o Vamp, que é um cara maravilhoso que deixa a gente à vontade, e os ensaios estão legais. Eu estou rindo muito, às vezes em casa de bobeira, a minha esposa fala: 'o que foi?'. Eu fico lembrando dos episódios, espero que o público possa curtir também".

Sampaio está levando a sério o projeto. Ele vem tendo treinamentos com a filha Priscila, que é atriz, “Acabei me apaixonando pelo teatro, até como terapia e como um meio para a gente entender o mundo, qual o seu papel aqui, a gente não está por acaso. Em casa eu faço homework, ela é bem critica. Pediu para eu emagrecer, estava mais gordinho, já estou fazendo uma dieta, vejo a postura, a entonação, a expressão, a fala tem que acompanhar a expressão facial. Mas não me considero ator, nem humorista, nem nada. Vamos ver no que vai dar. Não tenho aspirações futuras. Estou curtindo e espero que quem venham curta também”.

O ‘2 Santos & 2 Nem Tanto’ terá duas apresentações nos dias 7 e 28 de setembro no Teatro Gazeta, em São Paulo. A ideia de fazer o projeto, que tem direção de Maximiliana Reis, foi de Flávio Prado que pensou inicialmente em escrever um livro de casos, mas achou que poderia adaptar a ideia para o teatro. 

“O César Sampaio trabalhava na Jovem Pan comigo. Contava histórias de bastidores, a gente morria de dar risada, criei um quadro no meu programa o ‘Mundo da Bola’ que chamava ‘Histórias de César Sampaio’. Então uma vez por semana ele contava uma história e a gente morria de rir. Quando o César saiu, entrou o Vampeta e foi a mesma coisa. Só que de estilos diferentes. O César Sampaio é um cara bem comportado e o Vampeta é largado. Aí o Bruno entrou na rádio. O Bruno quietão, sossegado e eu largado. Aí ao invés de fazer o livro que a gente pretende fazer, pensei: ‘podemos fazer uma peça’. Porque eu tinha um stand up e o pessoal do Teatro Gazeta chamou. Passei a ideia, o pessoal achou o máximo, eles toparam e virou isso aí. A gente está se divertindo pra caramba”, contou Flávio.

Futebol