PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Eliminatórias levam tensão à fronteira Venezuela-Colômbia nesta quinta

Fronteira entre as cidades San Antonio e Cúcuta viverá dia de operação especial - EFE/SCHNEYDER MENDOZA
Fronteira entre as cidades San Antonio e Cúcuta viverá dia de operação especial Imagem: EFE/SCHNEYDER MENDOZA

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

31/08/2017 04h00

O jogo marcado para esta quinta-feira em San Cristóbal pode deixar a Colômbia muito perto da classificação para a Copa do Mundo do próximo ano. No entanto, o encontro com a Venezuela no estádio Pueblo Nuevo pelas eliminatórias tem transcendido a esfera esportiva já há algumas semanas. Apimentada por circunstâncias políticas e diplomáticas, a partida agendada para a região da fronteira entre os países apresenta uma carga adicional de tensão.

A expectativa é de que mais de 10 mil colombianos atravessem a fronteira por terra, desde a cidade de Cúcuta, e percorram o trajeto de 1h30 até San Cristóbal (são apenas 40 km em solo venezuelano). Tudo numa região marcada nos últimos anos por animosidade em relação a questões territoriais e discordâncias entre governos. Por isso, uma série de medidas de segurança foram discutidas para o confronto esportivo desta quinta.

Segurança reforçada pelas autoridades venezuelanas

Na última semana, a prefeitura de San Cristóbal apresentou à imprensa como será o planejamento de segurança para a partida entre Venezuela e Colômbia na cidade. As autoridades venezuelanas tratam a partida desta quinta com caráter especial, em razão das circunstâncias de fronteira.

Segundo o Ministério de Justiça Interior e Paz do país, cerca de 5 mil funcionários vão integrar o plano de segurança para a partida. Boa parte do contingente estará na fronteira, sob responsabilidade da Guarda Nacional Bolivariana.

Será permitido apenas que cidadãos colombianos munidos de passaporte e ingresso da partida passem pela fronteira, na ponte internacional Simón Bolívar – lembrando que as principais companhias aéreas que operam na Colômbia recentemente suspenderam voos até a Venezuela. Mas mesmo assim o acesso deve ser bastante burocratizado.

Estádio Pueblo Nuevo em San Cristóbal será palco de partida entre Venezuela e Colômbia - Reprodução - Reprodução
Estádio Pueblo Nuevo em San Cristóbal será o palco da partida desta quinta-feira
Imagem: Reprodução

"O governo venezuelano pediu uma série de documentações para liberar a entrada de jornalistas e de torcedores colombianos. Mesmo assim não se sabe ao certo se muitos torcedores conseguirão passar. Nós da imprensa tivemos que tirar uma autorização especial para ingressar no país", contou o jornalista Iván Andrés Gutiérrez González, da TV Caracol, da Colômbia.

"Antigamente, antes de Hugo Chávez e Nicolás Maduro, os colombianos passavam a fronteira para comprar eletrodomésticos na Venezuela. Mas hoje há um clima de inimizade", acrescentou o repórter da Colômbia.

Do lado venezuelano, a promessa é de cordialidade com os visitantes. "A fronteira é onde nos vemos e nos encontramos como irmãos, mas lentamente as políticas venezuelanas têm fechado as portas", afirmou Patricia Ceballos, prefeita de San Cristóbal, em declaração na última semana. "Este evento representa para gente um incentivo. Não vejo intenção de nossos cidadãos de confrontar ou atacar a seleção colombiana. Há uma disposição de recebe-los como irmãos que somos", acrescentou.

Ingressos caros devem facilitar invasão colombiana

A imprensa colombiana estima que mais de 10 mil torcedores do país se encaminhem a San Cristóbal para ver a partida decisiva das eliminatórias. O entendimento é de que os patamares de preços estipulados pela Federação Venezuelana facilitem esta invasão dos visitantes, em razão do momento crítico da economia da nação presidida por Nicolás Maduro.  

No total, 26 mil ingressos estão disponíveis desde 17 de agosto, inicialmente pela internet. A entrada mais barata custa 25 mil bolívares (cerca de R$ 20), enquanto que a mais cara sai por 550 mil bolívares (na casa de R$ 450).

"Com a desvalorização do bolívar, os ingressos estão muito caros para os venezuelanos, mas nem tanto para os colombianos", diz o jornalista Iván Andrés Gutiérrez González, da TV Caracol.

Animosidade crescente entre os dois governos

Com 2050 km de fronteira, os dois países estão unidos por história e cultura. Nos últimos anos, no entanto, o relacionamento político sofreu abalos consideráveis. Em 2010, o então presidente colombiano Alvaro Uribe anunciou rompimento de relações, acusando a Venezuela de Hugo Chávez de abrigar tropas guerrilheiras das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em seu território.

Jacobo Kouffaty, venezuelano que atua no Millonarios, time da Colômbia - AFP - AFP
Kouffaty: venezuelano que atua na Colômbia esquenta clima antes do jogo com críticas
Imagem: AFP

As relações foram posteriormente retomadas por Juan Manuel Santos, atual presidente colombiano. Mas as tensões diplomáticas se reestabeleceram em 2013, quando o governo de Bogotá recebeu formalmente Henrique Capriles, líder oposicionista na Venezuela, para desgosto do atual mandatário Nicolás Maduro.

Em tempos de confronto no futebol, o desconforto entre os vizinhos aparece também evidente nas palavras de um cidadão venezuelano que trabalha na Colômbia como jogador profissional.

"Maduro, o que posso dizer? É uma pessoa que nos fez ficar mal em todo o mundo. Tudo o que diz é para se rir, porque está sempre fazendo palhaçadas, mas tem um país num momento crítico. As crianças morrem nos hospitais por falta de remédio, mães dão à luz no chão por falta de macas. Há delinquência por causa dos venezuelanos que não conseguem emprego", afirmou Jacobo Kouffaty, venezuelano que atua no Millonarios, time da Colômbia.

Colômbia está muito próxima da Copa

Em 2º lugar com 24 pontos, a Colômbia está muito próxima da vaga para sua segunda Copa consecutiva (a sexta em toda a história do torneio). Uma vitória nesta quinta-feira como visitante pode praticamente classificar a seleção dirigida pelo técnico argentino José Pekerman. Por sua vez, a Venezuela soma apenas 6 pontos, na 10ª colocação, já sem chances matemáticas de ir à Rússia. 

Caso vença a Venezuela fora de casa, a seleção colombiana pode confirmar matematicamente a vaga para o Mundial na próxima rodada, quando recebe o Brasil em Barranquilla – em jogo marcado para a terça-feira (5 de setembro). 

Futebol