PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Quem é quem no time reserva do Grêmio que reencontra o Cruzeiro

Jean Pyerre (esq) é uma das atrações do time de transição do Grêmio - Rodrigo Fatturi/Divulgação Grêmio
Jean Pyerre (esq) é uma das atrações do time de transição do Grêmio Imagem: Rodrigo Fatturi/Divulgação Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

30/08/2017 11h00

Classificação e Jogos

Uma semana depois de ser eliminado na semifinal da Copa do Brasil, o Grêmio volta ao Mineirão e reencontra o Cruzeiro. Nesta quarta-feira (30) o Tricolor entra em campo pelas quartas de final da Primeira Liga outra vez em Belo Horizonte. Mas agora a escalação é bem diferente. Juntando reservas e jovens que sequer estão no elenco principal.

São 20 jogadores à disposição de uma comissão técnica suplente.

Destes, 13 recebem uma grande chance de seguir crescendo na hierarquia do clube. Vários deles já foram chamados para o elenco principal e acabaram relacionados por necessidade.

São os casos de Conrado, Machado, Jean Pyerre, Patrick, Batista e Dionathã.

Jean Pyerre e Patrick são os mais elogiados da ‘safra’.

“O Jean é um meio-campo. Ele consegue jogar como volante, como meia. É um menino com visão de jogo incrível, qualidade de passe tremenda. Às vezes quem olha vê duas opões e ele acha três ou quatro. O Patrick é muito habilidoso, tem um contra um muito bom. Ele rende mais como meia do que como atacante. Chega mais ao fundo. Ele é mais jogador de tomada de decisão individual. O Jean é mais coletivo”, contou Felipe Endres, treinador do time de transição do Grêmio.

Dionathã virou alternativa ofensiva após fim de imbróglio judicial com o Avaí. Batista também foi opção para o ataque. Machado é acompanhado por boas referências das categorias de base, mas é último volante na escala da comissão técnica principal. E Conrado, volante, atua também na lateral.

Outros sete nomes encaram o jogo em Belo Horizonte de maneira diferente. Raul, Lucas Rex, Araújo, Dudu, Esperon, Zé Augusto e Lucas Poletto são mais do ‘grupo de transição’. E por isso a chance é enorme.

“Essa é a oportunidade da minha vida. Poucos tiveram isso. Eu não esperava, sinceramente. Esperava daqui uns dois anos. Está tudo bem rápido, então estou tentando me adaptar ao máximo para aproveitar a oportunidade”, contou Patrick.

“Estar na lista é um sinal de que o trabalho está sendo bem feito. Tenho conseguido jogar com sequência, o que é muito importante para a confiança do atleta. Se a chance aparecer, vou agarrar com todas as forças”, comentou Poletto.

Para Raul, é a primeira chance após voltar do Canadá e de uma transferência ao Toronto FC que caiu nos últimos minutos. Já Lucas Rex volta ao torneio onde fez gol, diante do Ceará. Araújo andou pelo elenco principal quando o técnico era Felipão. E o trio Dudu, Esperon e Zé Augusto praticamente debuta.

“Ele tem vigor físico muito grande. Com o Dudu temos uma saída mais rápida, ele tem uma chegada à frente melhor. São dois jogadores que podem fazer duas ou três funções. Com o Esperon o meio fica mais fechado. O Dudu chega sem a bola, ocupando espaço. O Esperon é mais condutor”, disse Endres.

O time que jogará deve começar com praticamente todos os ‘cedidos’ por Renato. A ideia é clara: dar ritmo de jogo para os suplentes adicionados na programação do jogo. Uma partida que servirá para mostrar quem é quem em três grupos dentro do Grêmio.

Futebol