PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rodrigo pega apenas um jogo de suspensão por empurrões em Milton Mendes

Rodrigo durante julgamento no STJD - Bruno Braz/UOL
Rodrigo durante julgamento no STJD Imagem: Bruno Braz/UOL

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/08/2017 15h09

Denunciado no artigo 254-A (agressão) por empurrões no técnico do Vasco, Milton Mendes, o zagueiro Rodrigo teve sua situação desclassificada para o artigo 250 (ato hostil) e foi punido com a suspensão em apenas um jogo pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Pela denúncia inicial, o jogador da Ponte Preta poderia pegar um gancho de até 12 partidas.

Desta maneira, o defensor será desfalque no duelo com o Botafogo, neste domingo, às 16h, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

A confusão entre Rodrigo e Milton Mendes teve início tão logo a arbitragem decretou o fim da partida entre Ponte Preta e Vasco, que terminou em 0 a 0. Na ocasião, o zagueiro conversava com os vascaínos Paulo Vitor e Jean quando o treinador se aproximou do trio para levar seus jogadores. O defensor não gostou e empurrou o comandante. Irritado, deu mais dois empurrões até ser contido por Jean.

Durante o julgamento, o zagueiro deu mais detalhes da situação:

“Eu estava me despedindo dos meus ex-companheiros. Se eu não me engano, estava acabando de dar um abraço no Jean (volante) e ele (Milton) chegou encostando meio forte, com a mão no meu pescoço. Já chegou falando coisas, me assustei um pouco e falei: ‘tira a mão de mim’. E aí depois ele começou a falar: ‘Eu que te tirei do Vasco, você é sem vergonha... E eu falei: ‘Vai para o seu vestiário. Sai daqui’. E foi aí que começou a me chamar de filho da p..., safado, começou a xingar minha família... E eu disse: ‘Fala de novo’. Mas não foi algo que eu fui para bater. A única coisa que eu pensei foi no sentido dele sair dali”.

Durante o julgamento, os membros do STJD questionaram o fato de Milton Mendes não ter sido também denunciado, uma vez que interpretaram que o treinador também teve culpa no episódio. 

O técnico do Vasco não esteve na audiência e comando o treino da equipe na manhã desta sexta-feira em São Januário. Também nenhum advogado cruzmaltino compareceu. 
 

Futebol