PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Namorador" e carismático, filho via Abel Braga como um "herói sem capa"

 

Generations

A post shared by João Braga (@joaobraga_)

 

on

Bruno Braz, Leo Burlá e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/07/2017 04h00

“Heróis reais não usam capas”. Era esta frase que João Pedro Braga costumava usar para definir seu pai, Abel Braga. Muito apegado à família, o jovem de 19 anos gostava sempre de demonstrar sua admiração pelo técnico do Fluminense e a gratidão por ser seu filho.

“Jhon Jhon”, como era conhecido entre os amigos mais íntimos, não chegou a se arriscar no futebol como seu irmão Fábio, que rescindiu o contrato com a Ponte Preta nesta semana. Nem por isso, não gostava de esportes. João praticava stand up e era apaixonado por futevôlei, modalidade que o fazia ser figurinha carimbada numa rede no posto 9 da praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

“O João era um cara super carismático, brincalhão e estava sempre rodeado de amigos”, disse ao UOL Esporte uma pessoa próxima.

Solteiro, João vivia um momento especial, feliz. "Era a melhor fase da vida dele", repetia o treinador. O próprio Abel costumava brincar lhe chamando de “namorador”. Estava cursando faculdade e tinha como um de seus principais hobbies viajar. Em suas andanças, colecionava fotos nas redes sociais. Além de aproveitar muito bem a noite carioca.

Por lá também, sempre que podia, fazia menções ao pai, desde registros ainda bem pequeno na companhia de Abel no Internacional, a momento íntimos da família, quando comemoraram os 25 anos de casado do treinador: “Vinte e cinco anos...E não podia ser diferente! Cada dia mais tenho a certeza de que papai do céu foi muito generoso comigo! São muitos os motivos que hoje temos para celebrar, mas nada se compara a essa união. Vocês são a nossa base para qualquer dificuldade na vida! E que venham mais vinte e cinco anos! Obrigado”, escreveu na postagem.

Por conviver mais tempo com Abel, já que Fábio segue carreira como jogador, João era muito ligado ao pai. E mais ainda à mãe, Cláudia, a quem fazia companhia quando o treinador viajava com o Tricolor. Na última quinta-feira, tiveram um jantar animado, como costumavam fazer. Na sexta, ele foi a uma festa com amigos no palco de tantas glórias do pai: o Maracanã.

Na final do Campeonato Carioca deste ano, entre Flamengo e Fluminense, João postou uma foto onde dimensionava sua admiração por Abel: “Independentemente de qualquer resultado, você sempre será nosso herói”.

Futebol