PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sucesso de garotada do Vasco "ressuscita" funk conhecido da década de 1990

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/07/2017 04h00

“Deixa os garotos brincar! (sic)”. Quem frequentou bailes funks do Rio de Janeiro na década de 1990 com certeza já ouviu tal mixagem. Criação de “DJ Cabide”, em 1998, ela tem sido “resgatada” e utilizada por torcedores e até mesmo jogadores do Vasco para ilustrar a boa fase dos jovens revelados na base do clube, que foram destaques da equipe nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro.

No Youtube, são várias as montagens resgatando a música. Em uma delas, que ilustra a matéria (veja vídeo acima), Paulinho, Paulo Victor e Eurico Miranda, presidente do clube, são retratados como dançarinos de funk. A expressão pegou tanto que a edição local do "Jogo Aberto", programa diária da Band, já adotou "Deixa os garotos brincar" como trilha sonora do Vasco no dia a dia. Além de montagens no Youtube, é comum ver nas redes sociais dos atacantes Paulinho e Paulo Vitor, novos xodós cruzmaltinos, a hashtag com a frase em suas postagens (veja abaixo).

DJ Cabide, que há 25 anos milita no funk carioca, relembra a criação da mixagem e admite que não imaginava que o sucesso fosse perdurar por tanto tempo.

“Eu fiz a montagem retirando trechos de outras músicas. Era a época do ‘baile de galera’. Realmente eu não imaginava que fosse fazer tanto sucesso. Até hoje o pessoal pede para tocar. E eu faço ao vivo com outras batidas também”, diz o DJ, que na verdade se chama Everton Ramos de Araújo e hoje está com 42 anos.

Apesar do sucesso entre os vascaínos, Cabide é flamenguista. O DJ, no entanto, possui uma forte ligação indireta com o Vasco. “Meu filho é vascaíno e ele gosta dessa garotada do Vasco. Está com 16 anos”, disse, para depois surpreender com uma revelação: “Vou até contar para ele que eu acho que ele não sabe que esse funk é meu (risos). É que ele mora com a avó”, se explica.

Entre os garotos da base do Vasco que estão sob o comando do técnico Milton Mendes, os mais adeptos do funk são Paulo Vitor e o lateral esquerdo Alan, que costumam divertir o elenco com seus famosos “passinhos” na concentração.

O volante Douglas, que recentemente foi vendido ao Manchester City (ING), é outro fã e chegou a homenagear um amigo DJ num quadro do programa “Globo Esporte”.  Já o meia Guilherme Costa, de 23 anos, que fez gol e assistência contra o Vitória e deu o passe para o segundo tento de Paulinho sobre o Atlético-MG, curte mais um pop rock, inclusive demonstrando talento no violão e no teclado.

O jogador, que é o mais “experiente” entre os jovens, enalteceu a receptividade do elenco vascaíno: “O mais importante é a adaptação ao grupo. E nosso grupo recebe muito bem todo mundo. Se não fosse o grupo todo, não só os jovens, esse destaque dos jovens não aconteceria. O Milton sempre fala da importância de todos. Essa mescla é muito boa”.

Com os holofotes voltados para a garotada, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, determinou que, ao menos por enquanto, estão proibidas entrevistas exclusivas com os meninos.

Futebol