PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Diretor respalda Ceni, aguarda volantes e nega novo empréstimo de Centurión

Ceni foi mais uma vez bancado pelo diretor-executivo do São Paulo - NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Ceni foi mais uma vez bancado pelo diretor-executivo do São Paulo Imagem: NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/06/2017 15h43

Minutos depois de apresentar Robert Arboleda e Jonatan Gómez como reforços, o diretor-executivo Vinicius Pinotti mais uma vez precisou expor o posicionamento da diretoria do São Paulo sobre a situação de Rogério Ceni. O técnico enfrenta críticas pela sequência de cinco jogos sem vencer e a 16ª posição do Campeonato Brasileiro.

"Rogério conta com nosso apoio irrestrito. Continuamos a ver o trabalho evoluindo. É claro que ansiedade de torcida por resultado leva sempre a um questionamento, mas continuamos a acreditar que o trabalho renderá frutos. O contrato dele é até o fim de 2018 e a ideia é manter ou renovar. Enquanto enxergarmos valor no trabalho, vamos prestigiar. Estamos satisfeitos com o trabalho diário. Com resultados, não, nem com a colocação, mas o que ele faz no dia a dia. Estamos a um ponto da zona de rebaixamento e a seis do G4. Não há situação de pressão por isso", ponderou o dirigente.

Além de respaldar o treinador, Pinotti avisou que novos reforços chegarão nos próximos dias, incluindo um novo zagueiro. "Petros fez exames, está inteirinho. Existem ainda algumas questões burocráticas, mas se houvesse jogo hoje, teria totais condições de atuar. Pode ser que chegue mais um zagueiro. Só. O elenco já está qualificado e grande. Não queremos inchar o elenco. E tem o Matheus Jesus, que já estava previsto. O negócio está em andamento, tem a história do time português (Estoril) e ainda não tem novidade sobre vir ou descartar", explicou.

Pinotti ainda reconheceu que o vaivém de jogadores com o Brasileirão ainda em andamento não é o ideal, mas prometeu que o cenário mudará nos próximos anos. O projeto é fazer com que o São Paulo se antecipe às saídas dos principais destaques, e não que corra para fazer a reposição. E, nesse plano, até mesmo uma volta de Centurión não é descartada. Um novo empréstimo para o Boca Juniors foi descartado. Ou vende ou utiliza o argentino.

Futebol