PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com Alexandre Gallo, Vitória deixa a degola no Brasileirão e espanta crise

Gallo resgatou a confiança da equipe em duas semanas de Barradão - Mauricia da Matta/EC Vitória
Gallo resgatou a confiança da equipe em duas semanas de Barradão Imagem: Mauricia da Matta/EC Vitória

Do UOL, em Recife

19/06/2017 10h12

Quando Alexandre Gallo foi anunciado como técnico do Vitória há 15 dias, seu nome foi recebido com ressalvas por grande parte dos torcedores rubro-negros. Duas semanas depois, no entanto, o impacto positivo da chegada do treinador no Barradão é indiscutível.

Desde que Gallo assumiu o comando da equipe, o Vitória conquistou duas vitórias e um empate, deixando primeiro a lanterna da competição e em seguida, com o 3 a 1 contra o Sport neste domingo (18), a zona de rebaixamento do Brasileirão.

Além dos resultados, Gallo mexeu com a moral da equipe - objetivo estabelecido por ele logo em sua apresentação. A avaliação era de que mais que uma crise técnica, os jogadores rubro-negros viviam uma crise de confiança.

O técnico, então, conquistou a primeira vitória da equipe após 45 dias, viu o time reagir de desvantagem de 2 a 0 e buscar o empate contra o Botafogo  no Barradão e agora logra importante vitória fora de casa no clássico nordestino contra o Sport.

Apesar de rejeitar que a vitória possa trazer clima de tranquilidade, Gallo comemorou o ganho de confiança da equipe durante entrevista coletiva após o jogo deste domingo.

"Campeonato Brasileiro não existe tranquilidade. Todo dia temos que estar matando um leão. Tivemos uma boa produção contra São Paulo, Atlético-MG, Botafogo. Esse foi um jogo que pode dar boa afirmação para nossa equipe, não tranquilidade, mas autoconfiança para a nossa equipe. A autoconfiança faz a diferença", destacou.

Os feitos de Gallo em pouco tempo no Barradão também vão além do campo e bola. Ele chegou no clube em meio a uma crise que se arrastou por um mês. Neste período, o Vitória teve três treinadores - Argel Fucks, o interino Petkovic e o próprio Gallo -, viu seu diretor de futebol (Sinval Vieira) pedir demissão e alguns conselheiros perderem a paciência com o mandatário Ivã de Almeida, recém-eleito à presidência do clube.

Bastaram os resultados aparecem, porém, que a grave crise que se instalou no clube foi amenizada. E agora, com o Vitória em nítida ascensão no Brasileirão sob comando de Alexandre Gallo, ela parece já fazer parte do passado.

Futebol