PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Antes de perder pai, Camacho viveu tragédia com irmão baleado por PM

Camacho com a mãe, Rita, o irmão, Leonardo, e o pai, Anízio, morto em acidente  - Reprodução/Facebook
Camacho com a mãe, Rita, o irmão, Leonardo, e o pai, Anízio, morto em acidente Imagem: Reprodução/Facebook

Dassler Marques e Gustavo Franceschini

Do UOL, em São Paulo

21/02/2017 04h00

A tragédia que acometeu a família de Camacho, jogador do Corinthians, não foi a primeira a abalar o jovem de 26 anos. Antes de perder o pai, Anízio, em um acidente de elevador, o atleta viu o irmão, Leonardo, perder os movimentos da perna ao levar um tiro de um policial militar em 2012. Foi justamente para facilitar a locomoção de Leonardo e sua cadeira de rodas que a família instalou o fatídico elevador que, no último domingo, acabou por tirar a vida de Anízio.

Leonardo, que é cinco anos mais velho que Camacho, foi atingido pelo policial Eduardo Thales Pires após uma briga em uma boate de Nova Iguaçu. Na época, o oficial alegou legítima defesa, dizendo que a vítima e um grupo de amigos o cercaram durante uma discussão.

A confusão teria começado após a mulher de Eduardo ser assediada pelos amigos. O grupo de amigos, ao qual o irmão de Camacho fazia parte, negou o ocorrido na ocasião. Leonardo foi atingido na altura da cintura e lesionou a coluna de forma permanente. Na época jogador do Flamengo, Camacho chegou a ficar afastado dos gramados por alguns dias para acompanhar a recuperação do irmão.

Neste fim de semana, Leonardo estava com Anízio e a mãe, Rita, quando o elevador da casa da família despencou. Anízio não sobreviveu à queda e morreu, enquanto Rita teve fratura em pontos das duas pernas. Camacho, que estava em São Paulo quando soube da notícia, está muito abalado com a tragédia, segundo seu estafe.

“O cara do maior coração do mundo. Ele fazia tudo pelos filhos, neto e por mim! Era um segundo pai para mim, difícil acreditar que ele se foi. Ontem [domingo] estávamos marcando a festa-surpresa que iria acontecer para meu marido em 2 de março. Fica em paz, cuide de nós”, escreveu Vanessa Santarém, mulher de Camacho, em seu Instagram.

O jogador foi liberado pelo Corinthians para acompanhar o enterro do pai, que deve acontecer nesta terça. Ele também não irá enfrentar o Palmeiras, na quarta-feira. Bruno Paulo, atacante corintiano e melhor amigo de Camacho no grupo, também teve liberação concedida para participar do enterro. 
 

Futebol