PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Assessor revela papo com Caio Júnior e espera por mensagem que nunca chegou

Fábio Aleixo e Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

29/11/2016 13h34

"Chegando lá, quando der eu respondo. Um abraço guri". Estas foram as últimas palavras que o assessor de imprensa Adriano Rattmann ouviu do treinador Caio Júnior, que morreu nesta terça-feira após acidente aéreo da delegação da Chapecoense na Colômbia.

Adriano não viajou com o restante da delegação e ficou em Santa Catarina para produzir material para o site oficial e as redes sociais do clube.

O contato com Caio Junior ocorreu quando o treinador estava em Santa Cruz de la Sierra (BOL), momentos antes da decolagem para Medellín.

"Estamos dentro do avião em Santa Cruz de la Sierra pegando o voo fretado agora para Medellín. Mais umas quatro horas de viagem", disse o técnico.

Em contato com o UOL Esporte, Adriano mostrou-se muito abalado com a perda do amigo e companheiro de trabalho.

"É um momento muito triste, este foi o último áudio dele para mim, fiquei aguardando e não recebi mais nada", disse o assessor.

Eles eram tão próximos, que na última semana, após a classificação à decisão, Rattman postou em seu Facebook um vídeo com o treinador em uma rua de Chapecó.

O acidente colocou fim a vida do treinador de 51 anos, que havia dito na semana passada ao UOL Esporte que vivia o melhor momento de sua carreira.

"Eu me sinto sinceramente no auge da minha carreira, não pelo resultado desse momento de chegar a essa final, mas por conhecimento, são dez anos consecutivos trabalhando no nível muito bom. Estou conseguindo passar isso para o trabalho dentro das equipes que eu dirijo realmente é gratificante chegar a essa final", afirmou na última sexta-feira.

"O grupo de jogadores é fantástico, jogadores aplicados taticamente que entendem o que se tem que fazer dentro de campo. Eu estou muito satisfeito", afirmou Caio.

Futebol