PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Sem liberação, Sylvinho fica distante e faz Corinthians reavaliar nomes

Corinthians tinha pressa para definir treinador, mas encontra dificuldades - Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Corinthians tinha pressa para definir treinador, mas encontra dificuldades Imagem: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Dassler Marques e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

17/06/2016 19h57

Nome mais forte do Corinthians na quinta-feira, o ex-lateral Sylvinho ficou distante de ser o substituto de Tite. Neste momento, a direção corintiana discute em torno de algumas opções após o terceiro dia sem sucesso nas negociações.

Em um primeiro momento, o desejo do Corinthians era conseguir uma resposta rápida à saída de Tite. Mas, sem sucesso com Eduardo Baptista, Roger Machado, Fernando Diniz e Sylvinho, os dirigentes se reuniram para discutir possibilidades. A interlocutores, declararam que é grande a possibilidade de só se conseguir um novo treinador na próxima semana.

Sylvinho havia mostrado disposição em assumir o Corinthians, mas não conseguiu se liberar do contrato que possui vigente com a Inter de Milão-ITA. Além disso, segundo declarou em entrevistas, gostaria de seguir na Itália por mais um ano para concluir sua graduação para treinador na Uefa. No momento, só uma reviravolta em relação ao clube atual reaproximaria o ex-jogador do Parque São Jorge.

Uma das alternativas levantadas pelos dirigentes é insistir por Diniz, que se mantém firme em relação ao compromisso com o Oeste de Itápolis na Série B e sequer abriu conversas. O Corinthians cogita conversar com Mário Teixeira, proprietário do Audax e chefe de Fernando. Há uma ótima relação entre a direção do clube e ele, mas todas as pessoas que cercam o treinador são unânimes em dizer que a chance de tirá-lo do atual projeto é quase nula.

Nas últimas horas, também por conta das dificuldades, muitos treinadores têm sido oferecidos por pessoas próximas à direção. Diego Aguirre, sem clube, e Antônio Carlos, do Juventude, estão nessa lista. Bastante cotado no início, o experiente Oswaldo de Oliveira ainda corre por fora, mas enfrenta muita resistência entre conselheiros por ser considerado ultrapassado. Também há lobby por Osmar Loss, do Sub-20, mas não teve grande aceitação.

Futebol