PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Zago se arrepende de ter treinado Palmeiras e diz que foi "técnico tampão"

Antônio Carlos Zago teve passagem breve no comando do Palmeiras em 2010 - Mário Angelo/Folhapress
Antônio Carlos Zago teve passagem breve no comando do Palmeiras em 2010 Imagem: Mário Angelo/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

30/04/2016 21h10

Atualmente Antônio Carlos Zago está em alta. É técnico do Juventude, que surpreendeu o Grêmio e vai disputar a final do Campeonato Gaúcho a partir deste domingo, contra o Internacional. Mas nem sempre foi assim: em 2010, ele teve uma passagem ruim pelo Palmeiras, saiu rapidamente e não treinou mais nenhum grande do Brasil. Hoje em dia, diz que se arrependeu de ter assumido o clube naquela época.

"Se fosse hoje, não teria aceitado aquele convite. Eu fazia um grande trabalho no São Caetano. Acabei aceitando o convite porque tenho palmeirenses na família, ia voltar para minha velha casa, um lugar que conheço, mas nada disso aconteceu", afirmou Zago, em entrevista à Rádio Globo. "Não era o momento ideal, mas era um sonho, e às vezes aparece o convite, então você acaba aceitando. Mas hoje não teria aceitado, com a pouca experiência que tinha como treinador do futebol".

Ex-zagueiro do Palmeiras, Antônio Carlos alega que sua demissão já estava planejada desde o início. "Depois fiquei sabendo que me pegaram praticamente como um técnico tampão. Já haviam conversado com o Felipão antes da minha contratação".

O presidente do Palmeiras na época era Luiz Gonzaga Belluzzo, criticado por Zago. "Tudo conspirava para que o Palmeiras terminasse como terminou: uma má gestão da diretoria, do próprio presidente. Reuniões da diretoria com torcedores aconteceram muito".

Zago acredita que essa história deu início ao rebaixamento do time dois anos depois, em 2012. "O que começa errado termina errado. Começou com o Muricy (em 2010), passou pela minha gestão e terminou na segunda divisão com o Felipão". O técnico pentacampeão saiu do Palmeiras na reta final do Campeonato Brasileiro de 2012. Gilson Kleina assumiu o time, mas não conseguiu salvá-lo da queda.

Depois de sair do Palmeiras, Zago passou por times do interior de São Paulo até 2013, quando foi para Europa. Trabalhou como assistente técnico na Roma e no Shakhtar Donetsk, além de fazer cursos da Uefa para treinador, o que lhe dá permissão para comandar qualquer equipe do mundo. O retorno ao Brasil aconteceu em agosto de 2015, já pelo Juventude.

Futebol