PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Corinthians se vê perto de patrocínio recorde após negar R$ 30 mi da Caixa

Caixa chegou ao Corinthians em novembro de 2012 e encerrou parceria na quarta-feira - WILLIAM VOLCOV/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Caixa chegou ao Corinthians em novembro de 2012 e encerrou parceria na quarta-feira Imagem: WILLIAM VOLCOV/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

25/02/2016 13h22

A direção do Corinthians acredita que possa anunciar um novo patrocinador master em poucos dias depois de recusar a renovação com a Caixa Econômica Federal, parceiro desde 2012. A expectativa é que os valores sejam recorde, na casa de R$ 37 milhões.

Em reunião na última terça-feira, a Caixa apresentou sua oferta final ao Corinthians: fiel à linha que manteve desde o início das negociações, o banco estava disposto a seguir no clube por mais uma temporada, mas sem subir o valor de R$ 30 milhões.

Antes da reunião, o superintendente de marketing da Caixa havia dado a mensagem em entrevista exclusiva ao Correio Brasiliense. "Aqui a gente trabalha com o seguinte fato: o choro é livre, a mamadeira é que é regrada", disse Gerson Bordignon, com outra frase na sequência. "Quem determina o valor pago é a gente. O cara pode pedir o que quiser".

Entre dirigentes corintianos, a declaração não caiu bem e indicou que o banco não se aproximaria dos valores desejados. Em Brasília, também houve articulação do ex-presidente e deputado federal Andrés Sanchez, do PT, mas a Caixa se manteve firme à posição mostrada desde o início. Houve descontentamento, no clube, ao ver o agora ex-parceiro investir em outras equipes como Cruzeiro e Atlético-MG.

Agora, o Corinthians intensifica conversas com duas empresas que afirma serem interessadas em assumir o espaço deixado pela Caixa. A pedida do clube pela principal propriedade do uniforme é de R$ 37 milhões por temporada. Há, ainda, o desejo de formalizar um contrato por período mais longo, que permita criar maior sinergia entre a marca do clube e do parceiro. Um dos cotados é o mesmo grupo do segmento financeiro que já formalizou interesse na compra dos naming rights da Arena.

Além do peito da camisa, o Corinthians tenta, desde o fim de 2014, encontrar um parceiro para a manga do uniforme. A marca da Caixa já está em processo de retirada de todas as propriedades do clube e deve desaparecer completamente nas próximas horas.

Futebol