PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Brasileirão 2016 pode ser primeiro campeonato a ter "árbitro de vídeo"

Árbitros terão ajuda de um auxiliar de vídeo - Andres Stapff-13.out.2015/Reuters
Árbitros terão ajuda de um auxiliar de vídeo Imagem: Andres Stapff-13.out.2015/Reuters

Do UOL, em São Paulo

19/02/2016 10h30

Dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) viajarão na próxima semana para tentar aprovar em uma reunião da International Board (órgão que regulamenta o futebol) o uso do árbitro de vídeo em jogos do Brasileirão deste ano. Ao menos foi o que afirmou o jornal O Globo nesta sexta-feira após conversas com Manoel Serapião, autor do projeto da CBF e ex-árbitro.

Em Londres, na próxima semana, os dirigentes apresentarão e debaterão o projeto com a International Board. Uma segunda reunião será feita no dia 29, em Zurique, na Fifa, para fazer ajustes finais na proposta antes da votação no dia 5 de março, em Cardiff, para a padronização da regra.

Nove países se candidataram a tocar o projeto, mas apenas os projetos de Brasil, Estados Unidos e Holanda foram considerados. Como os três são semelhantes, apenas com pequenas diferenças, eles deverão ser fundidos.

Para aprovar o projeto, ele precisa receber 75% dos votos. O grupo que votará a proposta é composto por Inglaterra, País de Gales, Irlanda e Escócia, além da Fifa que tem direito a quatro votos.

“O que mudou, de setembro para cá, foram os consensos a cada reunião da IFAB. Em uma delas, os membros disseram que aprovariam facilmente e colocariam em testes já, no Brasileiro, que será o primeiro campeonato a começar. Se fosse o contrário, jamais entraria em pauta na Reunião Geral, onde a Fifa precisa de 3/4 dos votos”, falou Serapião ao jornal.

A atuação do “árbitro de vídeo” será usado em lances como “anulação e validação do gol”, “dúvida se a bola saiu ou não em lances que aconteceu gol” e “pênaltis marcados ou não marcados em lances de faltas indiscutíveis”. O vídeo não poderá ser usado em lances interpretativos e em que as imagens não sejam claras.

Para manter a igualdade entre as partidas, a CBF deverá utilizar o árbitro em todos os 10 jogos por rodada do Brasileirão. O projeto deverá custar R$ 12 milhões ao ano para a entidade que passará a treinar “árbitros de vídeo” a partir de março.

Futebol