Topo

Futebol


'Gol de barriga' faz 20 anos, mas relação entre Flu e Renato Gaúcho azedou

Em 1995, o ídolo Renato Gaúcho marcou o histórico gol de barriga - Nelson Perez/Fluminense FC
Em 1995, o ídolo Renato Gaúcho marcou o histórico gol de barriga Imagem: Nelson Perez/Fluminense FC

Rodrigo Paradella

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/06/2015 06h00

Autor do lendário gol de barriga que tornou o título carioca de 95 histórico para o Fluminense, o atacante Renato Gaúcho será um dos homenageados em festa organizada pelo clube na noite desta quinta-feira, na sede das Laranjeiras. Porém, mesmo sendo o heroi da conquista, o ídolo acabou ficando em segundo plano na comemoração por não ter uma relação das melhores com o atual presidente Peter Siemsen.

Em abril do ano passado, Renato Gaúcho foi demitido do cargo de técnico do Fluminense após queda de braço entre Peter Siemsen e o presidente da Unimed Rio, Celso Barros, que defendia sua permanência no clube. Embora negue mágoa, o ídolo tricolor não gostou da forma como foi dispensado pouco mais de três meses depois de voltar às Laranjeiras.

O reflexo da relação fria entre ídolo e clube pode ser visto na divulgação do evento organizado pelo Fluminense em homenagem aos campeões de 1995. Ao contrário do esperado, a maior parte das ações até não envolveram Renato, com exceção de uma foto com a camisa comemorativa lançada pelo Tricolor. O meia Ailton, por exemplo, foi muito mais ativo na campanha para atrair os torcedores.

Autor do chute que Renato cortou de barriga em 95, Ailton esteve presente no Maracanã na última quarta-feira em ação envolvendo sócios torcedores do clube. Além disso, deu declarações ao site oficial do Tricolor convocando a torcida para o evento principal desta quinta-feira. Já o autor do gol histórico foi convocado para participar da festa, mas, segundo a assessoria tricolor, nem mesmo confirmou presença até a noite de quarta.

Cabe ressaltar que os jogadores que integraram o elenco campeão de 95 receberão a renda integral da festa realizada pelo Fluminense nesta quinta, assim como uma parte da receita com a venda da camisa comemorativa lançada com ajuda de Renato Gaúcho. Os dois, portanto, receberão pela participação no projeto.

A relação entre Renato Gaúcho e Peter Siemsen foi iniciada no fim de 2014 já com o pé esquerdo. O treinador foi pivô de uma das muitas disputas entre Unimed Rio e o mandatário tricolor por influência no futebol do clube. Celso Barros venceu a disputa e o presidente aceitou contratar o técnico, mas o demitiu apenas três meses depois.

O certo é que a relação do Fluminense com um de seus maiores ídolos vivos ficou estremecido depois da última passagem de Renato Gaúcho pelo clube. Se o treinador não ficou satisfeito pela forma como foi tratado, o Tricolor também não aprovou o trabalho do ex-atacante na ocasião. Resta saber se a conciliação completa virá já nesta quinta ou ainda vai demorar.

Futebol