PUBLICIDADE
Topo

Torcedores vão a juizado pedir liberdade de astro chileno após acidente

Juliana Alencar

Do UOL, em Santiago (CHI)

17/06/2015 09h42

O meia chileno Arturo Vidal, detido na madrugada de terça para quarta-feira após sofrer um acidente com sua Ferrari e testar positivo para a presença de álcool no sangue, recebeu um grande apoio nesta manhã. Cerca de 30 torcedores compareceram à porta do juizado de garantia de São Bernardo, Santiago, onde ele será formalizado por condução em estado de ebriedade, para manifestar apoio e pedir à liberação do astro, que é artilheiro e principal estrela da seleção chilena na Copa América disputada justamente em seu país.

Apesar de reconhecerem a gravidade do caso – o acidente envolveu três carros, e uma mulher ficou ferida –, os fãs de Vidal levaram faixas de apoio ao meia, inclusive com declarações de amor, e alegaram que seus problemas com a Justiça não podem prejudicar o time nacional.

“São problemas legais, não tem nada a ver ele prejudicar a seleção por isso. Tem que responder o processo, mas fora de campo”, argumentou Tomy Panies.

O estudante, que faltou a um compromisso para poder ir ao juizado, reconheceu que o escândalo pode pesar dentro da seleção. “Pode prejudicar, claro. Ele é um grande craque, muitas crianças se inspiram nele. Isso desestabiliza”, afirmou.

Enquanto do lado de fora do juizado ecoam os gritos de “Libertat, Arturo”, lá dentro o destino próximo de Vidal começa a ser definido. Está agendada para as 10h uma audiência para definir se o jogador deve ser mantido preso em uma delegacia próxima, onde passou a noite, ou se será solto, e sob quais condições: fiança ou uma punição mais pesada. Vidal chegou ao tribunal por volta das 8h15 acompanhado de seu representante, Fernando Felicevich, e entrou por uma passagem longe da imprensa e dos torcedores.

Ainda nesta manhã, o exame de sangue feito por Vidal na madrugada confirmou que seu índice de álcool era de 1.21, muito acima do 0.8 permitido.

Javiera Blanco, ministra da Justiça do Chile, afirmou que Vidal não deverá ser enquadrado na Lei Emilia, mais severa e que prevê punição grave em casos de direção por embriaguez. Ela argumenta que o fato de não ter havido fuga ou lesões gravíssimas no acidente ameniza o problema. Assim, espera-se que o jogador receba uma punição branda.

Bem distante da delegacia, na concentração do Chile para a Copa América, o técnico da seleção, Jorge Sampaoli, e o presidente da Federação nacional estão reunidos para definir qual o impacto da detenção de Vidal. Ainda que ele seja liberado, dependerá do treinador sua permanência ou não na competição continental. A entrevista coletiva diária da seleção foi cancelada nesta quarta, e, a princípio, nenhum jogador falará com a imprensa.

Antes do treinamento, os jogadores da seleção chilena se reuniram com o técnico Jorge Sampaoli para falar sobre a situação de Vidal. De acordo com o jornal El Gráfico, o elenco condenou a atitude do companheiro, mas pediu para que o treinador não o corte do grupo que disputa a Copa América.

* Atualizada às 12h03

Futebol