PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos fica perdido na Itália após rescisão de Robinho e 'improvisa' Alex

Robinho está livre para negociar com qualquer clube após rescisão com o Milan - Ricardo Saibun/AGIF
Robinho está livre para negociar com qualquer clube após rescisão com o Milan Imagem: Ricardo Saibun/AGIF

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

12/05/2015 15h52

O presidente do Santos, Modesto Roma, ficou “perdido” por algumas horas na Itália após saber da rescisão contratual do atacante Robinho com o Milan na última segunda-feira. O mandatário santista, que embarcou em companhia de um integrante do Comitê Gestor do clube, viajou exatamente para convencer o clube italiano a liberar o jogador. O dirigente, inclusive, confirmou diversas vezes, em público, que a "missão" na Itália era a contratação de Robinho em definitivo.

No entanto, o dirigente desembarcou na Europa somente nesta terça-feira, e só descobriu que Robinho não tinha mais contrato com o Milan em território italiano.

Para não perder a viagem, Modesto Roma, agora, quer se reunir com a diretoria do Milan para saber se existe a possibilidade dos italianos liberarem o zagueiro Alex, revelado pelo clube na “geração Robinho e Diego”, que conquistou o Campeonato Brasileiro de 2002.

O defensor tem contrato com o Milan até o meio de 2016 e já manifestou o desejo de voltar ao Santos em diversas visitas que fez ao clube nos últimos anos.

Como a viagem de Modesto Roma não era em prol de Alex, não existe nenhuma negociação aberta com o Milan. A primeira conversa deve ocorrer nesta quarta-feira.

A viagem do presidente santista gerou uma pequena troca de farpas entre os opositores e pupilos de Modesto nas redes sociais. Enquanto os rivais políticos levantam a tese de “viagem perdida”, os apoiadores do mandatário já trataram de publicar que a viagem tinha outro objetivo.

“Eu fiquei sabendo desta viagem pela imprensa, por vocês. O Santos não faz parte desta rescisão [Robinho e Milan]. Eu acredito que ele tem outro interesses lá”, disse a advogada e representante de Robinho, Marisa Alija.

“Eu disse que teria essa possibilidade [rescisão contratual], mas não posso ficar falando de todas as tratativas do atleta”, completou.

O contrato de Robinho com o Milan terminava na metade de 2016; Robinho e o time italiano combinaram que o vínculo será encerrado oficialmente em 1º de julho, um dia depois de encerrar o empréstimo ao Santos.

Para ficar com Robinho e vencer a concorrência de outros clubes, o Santos precisa pagar uma “alta dívida” que possui com o jogador. Desde que retornou ao time da Vila, há oito meses, o camisa 7 não recebeu nenhum centavo referente a direitos de imagens. São quase R$ 7 milhões de dívida.

Futebol