PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Edmundo criou confusão para curtir Carnaval. Teve briga, ameaça e protesto

Edmundo virou figurinha carimbada no Carnaval do Rio. Nessa foto, ao lado de Ronaldo, em 2002 - Reuters
Edmundo virou figurinha carimbada no Carnaval do Rio. Nessa foto, ao lado de Ronaldo, em 2002 Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

16/02/2015 06h00

O Carnaval de 1999 deve ter um lugar especial (mas não saudoso) na memória de Edmundo e da torcida da Fiorentina. Foi nele que o ex-atacante arrumou uma grande confusão com seu time na época, com direito a discussão à distância com jogadores, ameaças de ambos os lados e até um protesto por parte dos torcedores italianos.

Em sua segunda temporada pela Fiorentina, Edmundo pediu e recebeu autorização para curtir o Carnaval no Rio de Janeiro. Tudo certo, não fosse pelo clima difícil que ele vivia no elenco naquela época. A relação com o português Rui Costa e o argentino Batistuta já estava difícil. O time brigava pelas primeiras posições do Italiano e havia terminado o primeiro turno na liderança.

Em fevereiro, a Fiorentina tinha uma dura sequência de três jogos. No primeiro, contra o Milan, empate sem gols e Batistuta machucado. Edmundo, então, embarcou para o Brasil e desfalcou a equipe diante da Udinese, no domingo de Carnaval. Derrota por 1 a 0. O Animal não estava na Itália, mas no sambódromo desfilando pela Salgueiro. Dias antes, aparecera jogando futevôlei na praia de Ipanema com Renato Gaúcho.

O cenário revoltou os jogadores da Fiorentina, que acusaram Edmundo de falta de profissionalismo. Para piorar, a mídia italiana publicou que o atacante havia chamado Batistuta de perdedor e Rui Costa de invejoso. O português respondeu, dizendo que ele estava lutando pelo clube enquanto o brasileiro se preocupava em festejar e ofender.

Edmundo também ameaçou não voltar mais à Itália. Colocou como condição a certeza de que seria titular. O presidente da Fiorentina na época quis levar o caso à Fifa e exigiu seu retorno. Depois de muito pressionar, o atacante retornou à Itália. Ao chegar, viu um cartaz colado em sua casa, avisando: “Agora basta: silêncio e vitória”.

O estrago já estava feito. Pouco antes, nas festas de fim de ano, Edmundo recebera 18 dias de folga para voltar ao Brasil. O restante do elenco tivera apenas uma semana. Mesmo assim, o Animal terminou a temporada por lá e ajudou a Fiorentina a ficar em terceiro lugar, atingindo a meta de chegar à Liga dos Campeões.

Anos depois, o Animal disse estar arrependido por sua imaturidade nos tempos de Fiorentina. E o mais incrível: o trio que se odiava totalizou 39 gols, mais de 70% do total da equipe: Batistuta marcou 21, Rui Costa, dez, e Edmundo ajudou com oito gols. Se eles se dessem bem, então...

Futebol