PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos vende promessas por R$ 7 milhões e gasta tudo em 1 parcela de Damião

Divulgação/Santos FC
Imagem: Divulgação/Santos FC

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

12/02/2015 06h00

O presidente Modesto Roma e companhia consideram absurda a negociação da ex-diretoria do Santos, comandada por Odílio Rodrigues, que envolveu a venda de parte dos direitos econômicos de Daniel Guedes, Gabriel Barbosa e Geuvânio à Doyen Sports. O UOL Esporte apurou com exclusividade os valores transação. Por causa de uma dívida com o fundo de investimentos, o clube paulista vendeu 80% em direitos das revelações por quase R$ 7 milhões.

A “novela” é longa e envolve Felipe Anderson, hoje na Lazio, da Itália, e Leandro Damião, do Cruzeiro.

Em oito de julho de 2013, o Santos vendeu Felipe Anderson por 7,5 milhões de euros, a serem pagos em três parcelas. Como o clube paulista não repassou a parte da Doyen, que detinha 50% dos direitos do atleta, os valores referentes às duas primeiras parcelas, ficou com uma dívida com o fundo de investimentos no valor de 2,3 milhões de euros [cerca de R$ 7,4 milhões], sem juros e correção.

Por conta disso, a Doyen exigiu que o Santos fizesse um contrato de compensação de dívida no dia 13 de novembro do ano passado. No acordo, o clube paulista assumiu parte da dívida da Doyen com o Internacional para pagar a quarta e última parcela da compra de Leandro Damião no valor de 3 milhões de euros [aproximadamente R$ 9 milhões]. Como o Santos já teria que pagar 1 milhão de euro na mesma data, a dívida pelo centroavante chegou a 4 milhões [R$ 12 milhões].

Com a compensação, a Doyen só pagou ao Internacional 625 mil euros, pois o Santos teria que pagar R$ 3,3 milhões [R$ 10 milhões] ao clube gaúcho.

No dia do pagamento, o Santos não tinha recursos financeiros e recorreu a Doyen mais uma vez. Os investidores não aceitaram emprestar mais dinheiro ao clube. Por conta disso, Odílio Rodrigues e companhia ofereceram parte dos direitos das três revelações.

Os direitos foram vendidos da seguinte forma: 25% de Daniel Guedes por 250 mil euros [R$ 811 mil], 35% de Geuvânio por 750 mil euros [R$ 2,4 milhões] e 20% de Gabigol por 1,1 milhão de euros [R$ 3,5 milhões]. No total, o Santos cedeu os direitos dos atletas por R$ 6,7 milhões.

Como o valor não pagava a dívida com a Doyen, no valor de 2,3 milhões de euros [R$ 7,4 milhões], o Santos ainda aceitou sofrer desconto de juros no valor que receberá da Lazio neste ano, referente à última parcela de Felipe Anderson. O clube receberia 1,3 milhão de euros, mas terá direito a 1,2 milhão.

Futebol