PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com orçamento disponível, Atlético-MG procura Erik e se assusta com o preço

Erik comemora um de seus três gols na vitória do Goiás sobre o Atlético-PR - ANDRÉ COSTA/COSTAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Erik comemora um de seus três gols na vitória do Goiás sobre o Atlético-PR Imagem: ANDRÉ COSTA/COSTAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

07/02/2015 07h10

Mesmo com elenco montando e com 37 jogadores à disposição do técnico Levir Culpi, a diretoria do Atlético-MG segue antenada e em busca de boas oportunidades para reforçar ainda mais a equipe que vai disputar a Copa Libertadores. O nome do atacante Erik, destaque do Goiás no último Brasileirão, chegou a ser cogitado, mas a direção atleticana se assustou com o valor pedido pela equipe esmeraldina.

Para ceder sua revelação de 20 anos, o Goiás pediu algo em torno de RS 30 milhões, valor que inviabiliza qualquer transferência. O UOL Esporte apurou que o Atlético mantém interesse no jogador, mas como uma das metas nessa contratação é a venda no futuro, o clube mineiro não está disposto a colocar muito dinheiro na negociação.

Já que o valor pedido pelo Goiás assustou, a conversa não evoluiu. Além do Atlético, outros clubes brasileiros procuraram o jogador. O que pesa em prol dos interessados é a vontade do atacante. Erik tem algumas metas na carreira, entre elas a de participar dos Jogos Olímpicos de 2016. O atleta do Goiás acredita que vai ter maior visibilidade atuando em um grande centro do país e já deixou claro para direção do clube goiano que seu desejo é ser negociado.

Um ponto que facilita a chegada de mais um reforço ao Atlético é o alívio dado na folha salarial. A situação financeira que esteve complicada alguns meses atrás, muito em função das contas bloqueadas, já está totalmente resolvido. De acordo com Eduardo Maluf, diretor de futebol do clube, os salários e prêmios estão em dia. Com tudo resolvido, o Atlético pode fazer mais uma grande contratação.

“Com as saídas do Tardelli, do Réver e dos jogadores que ficaram sem contrato, o Atlético teve uma redução de 20% na folha de pagamento. Tivemos uma definição com o presidente e se aparecer um grande nome, o Atlético tem condição de trazer. Eu vejo que nosso elenco está muito bom, mas o Atlético é clube ajustado e vive dentro do orçamento”, comentou o dirigente, que descarta qualquer tipo de loucura para trazer algum jogador.

O discurso do dirigente é repetido pelo técnico Levir Culpi. Embora considere o elenco fechado e esteja satisfeito com o que tem mãos, o treinador não descarta a chegada de um novo atleta, desde que seja em ótimas condições para o clube. “Se acontecer uma coisa excepcional, que o presidente sinta, dá para tomar outra decisão. Mas não precisa mexer mais”.

Futebol