PUBLICIDADE
Topo

Criador de Messi e parceiro de Guardiola, Tito virou herói em Barcelona

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona

26/04/2014 06h00

O homem dos 100 pontos! É assim que o Barcelona se refere ao treinador recordista de pontos numa única edição do Campeonato Espanhol, Tito Vilanova. Ele foi vítima de um câncer na glândula parótida e morreu nesta sexta-feira, aos 45 anos. Tito ganhou na cidade a fama de ser o criador de Lionel Messi e de ter ajudado a idealizar o tiki-taka de Pep Guardiola, que rendeu dezenas de títulos ao time espanhol. Ao todo, ele passou sete anos no Barcelona entre seus trabalhos nas categorias de base e no time profissional.  

O UOL Esporte reuniu opiniões de jornalistas, do presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, de torcedores presentes no Camp Nou e no hospital em que Tito faleceu. O treinador foi convertido no primeiro herói do melhor Barcelona da história.
 
“Na história do Tito você verá que ele colocou o Messi para jogar no centro, implementou filosofias usadas pelo Guardiola e formou uma geração de ouro. O apreço que tem por aqui é impressionante, mas justo”, definiu o jornalista espanhol da FOX Sports TV, Pepe Gutiérrez.
 
“Tito representa o estilo que levou o Barcelona não só a triunfar, mas como ser reconhecido em todo o mundo. É o maior expoente do futebol de toque. Além disso era educado e amável. Homem perfeito para carregar a bandeira do Barcelona”, opinou o repórter da rádio Cadena Ser, Bruno Alemany.
 
“Morreu sim o nosso amigo. Só que ganhamos uma referência para sempre por aquí”, avisou o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, ao sair do Camp Nou nesta sexta.
 
O estádio do Barcelona teve as bandeiras do clube a meio mastro como homenagem a Tito. O Camp Nou será palco de cerimônia de condolências a ser realizada em grande parte do sábado e do domingo. Milhares admiradores de Tito são esperados no local.
 
Barcelona coloca bandeira a meio mastro após morte de Tito Vilanova - João Henrique Marques/UOL - João Henrique Marques/UOL
Barcelona coloca bandeira a meio mastro após morte de Tito Vilanova
Imagem: João Henrique Marques/UOL
 
“A juventude com que ele faleceu espanta. Só que você consegue notar o quanto ele é importante para o Barcelona por já ter tantos feitos com essa idade em que nos deixou”, disse Emiliano Serra, torcedor do Barcelona presente no estádio.
 
A ligação de Tito com o Barcelona começou em 1984, quando aos 15 anos ele se tornou jogador das categorias de base do clube. No período, atuou ao lado de Guardiola.
 
No profissional do Barça, participou de apenas dois amistosos e seguiu carreira por clubes menores da Espanha. Quando já estava aposentado, aos 34 anos, sua história no Barcelona recomeçou. 
 
“Ele começou como treinador na base do Barcelona, trabalhou com o Messi, Cesc (Fàbregas) e Piqué e já montava o time ao redor desses jogadores. É o mentor intelectual do Guardiola pelo conhecimento que já tinha dos jogadores”, comentou o jornalista Josep Pedrerol, da emissora de televisão La Sexta.
 
Após a passagem na base do Barcelona, Tito ainda se arriscou como treinador de equipes pequenas da Espanha. Também foi diretor esportivo do Terrassa, um clube da Catalunha. Mas, em 2007, Guardiola pediu ajuda para iniciar o trabalho como treinador do Barcelona B. Tito virou o auxiliar e seguiu na função durante os cinco anos de Pep no profissional.
 
“Todos em Barcelona queriam o Tito como substituto. Nem se discutiu quando o Guardiola saiu. Ele estaria no cargo até hoje caso não tivesse a doença, com certeza. O trabalho dele como um todo foi exemplar”, comentou o torcedor do Barcelona, Jordi Selviamare.
 
A morte anunciada
 
Tito teve a experiência de ser treinador do time principal por apenas uma temporada, em 2012/2013. Com a recaída do câncer operado um ano antes, muitos em Barcelona acreditavam que a morte do técnico estava próxima. Foi neste período em que ele deixou o trabalho para se dedicar ao tratamento.
 
O processo foi feito em silêncio. No ano passado, o Barcelona pediu aos jornalistas para que a família de Tito fosse respeitada sem a busca por entrevistas com o treinador. O pedido foi atendido. 
 
Em dezembro, boatos em Barcelona informavam que Tito dificilmente sobreviveria por mais de um ano. Pouco depois, uma aparição em um jogo do Barça nas tribunas do Camp Nou fez nascer uma esperança. 
 
Na quinta-feira, houve o anúncio que o treinador estava internado em Barcelona para uma cirurgia de emergência. À noite, uma emissora catalã chegou a noticiar a morte de Tito no momento em que o mesmo estava passando pelo processo cirúrgico. O hospital divulgou nota desmentindo pouco depois. No dia seguinte, o Barcelona foi o responsável pelo anúncio da morte do seu mais novo herói.
 
“O clube expressa toda sua compaixão à família, que neste momento tem em sua companhia o luto de todos os membros do Barcelona e fãs ao redor do mundo", divulgou o Barcelona em nota oficial.
 

Futebol