PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mercado inflacionado dificulta vida de clubes brasileiros no fim do ano

Do UOL, em São Paulo

31/12/2013 18h00

O ano de 2013 terminou sem que os grandes clubes brasileiros anunciassem grandes contratações. Com exceção do Santos, que acertou a vinda do atacante Leandro Damião por R$ 41 milhões com a ajuda de um grupo de investidores, o que se viu no final deste ano foi uma contenção de gastos e as equipes recuando diante dos altos valores pedidos por atletas e pelos próprios clubes nas negociações.

Grandes nomes foram cogitados, mas até agora não acertaram. Caso de Elano e Lúcio no Palmeiras, Vargas no São Paulo e no Santos, Forlán no Botafogo, ou mesmo a revelação Marcelo Cirino, do Atlético-PR, que foi consultado pelo Corinthians. O clube recuou depois de se espantar com os valores pedidos.

Até o momento, poucos negócios foram fechados. Entre os grandes de São Paulo, nenhum nome de peso foi anunciado oficialmente, com exceção, novamente, de Damião no Santos. O São Paulo fechou com o lateral direito Luis Ricardo, que defendia a Portuguesa, há tempos. O Corinthians acertou a contratação do lateral esquerdo Uendel, ex-Ponte Preta. O Palmeiras só confirmou o atacante Rodolfo, do Rio Claro.

No Rio de Janeiro, o Flamengo acertou com o meia Everton, destaque do Atlético-PR. O Fluminense terá o retorno do argentino Conca. No Botafogo, o meia Jorge Wagner é o principal nome que chega. No Vasco, o goleiro Martin Silva é destaque.

Nos times gaúchos a movimentação foi pequena também. No Grêmio, o volante Edinho, vindo do Fluminense, é o mais conhecido a desembarcar até o momento. No Internacional, o goleiro Dida e o atacante Wellington Paulista, embora bastante rodados, são o que de mais conhecido pelo público a diretoria apresentou.

O campeão Cruzeiro deve manter a base do título do Campeonato Brasileiro. A contratação que fez mais barulho foi a do jovem Marlone, que veio do Vasco. No Atlético-MG, a maior novidade foi a chegada do técnico Paulo Autuori, que irá substituir Cuca, que acertou com o futebol chinês. 

VEJA COMO ANDA O MERCADO DA BOLA DO FUTEBOL BRASILEIRO

Futebol