PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Alberto Dualib é condenado em 2ª instância por desviar R$ 1,4 milhão dos cofres do Corinthians

Dualib fazia parte de um esquema de desvio de dinheiro por meio de notas frias - Rogério Cassimiro/Folhapress
Dualib fazia parte de um esquema de desvio de dinheiro por meio de notas frias Imagem: Rogério Cassimiro/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

28/02/2013 19h39

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou (em segunda instância) o ex-presidente do Corinthians, Alberto Dualib, 93, por estelionato praticado contra o clube. Entre janeiro de 2001 e janeiro de 2007 Dualib e outros quatro parceiros, também condenados, desviaram R$ 1,4 milhão dos cofres do Corinthians por meio de um esquema de notas fiscais frias, de acordo com a Justiça paulista. Ainda cabe recurso aos tribunais superiores (STJ e STF).

O grupo condenado contabilizava notas frias emitidas por duas empresas de informática e uma empresa de assessoria empresarial, todas de propriedade de Juraci Benedito, um dos condenados, desviando o dinheiro destinado pelo Corinthians para fazer o pagamento de serviços que, na verdade, nunca foram prestados ao clube.

Na primeira instância, Dualib foi condenado, em 2010, a três anos e quatro meses de reclusão, em regime aberto, pena convertida em prestação de serviços à comunidade. Ele foi
condenado, ainda, à prestação pecuniária ao Corinthians (pagamento de multa), no valor de 80 salários mínimos (R$ 49,2 mil).

Também foram condenados por estelionato Nesi Curi, então diretor do Corinthians, Daniel Espíndola da Cunha, conselheiro; Marcos Roberto Fernandes, funcionário do clube, e o contador Juraci Benedito. Cury recebeu pena idêntica à de Dualib. As penas aplicadas aos demais também foram de três anos e quatro meses de reclusão, em regime aberto, pena convertida em prestação de serviços à comunidade, mais prestação pecuniária ao Corinthians no valor de 20 salários mínimos para Fernandes, e de 50 salários mínimos para Espíndola.

Todos haviam sido denunciados no final de fevereiro de 2008 pelos promotores do grupo de combate ao crime organizado do Ministério Público por estelionato e formação de quadrilha. O UOL Esporte tentou entrar em contato com o advogado que representa os condenados, mas ele não atendeu ás ligações até a publicação desta reportagem.

OUTRAS CONEXÕES

  • Juca Vieira/Folhapress

    Os problemas de Dualib com a Justiça não acabaram. Uma investigação do Ministério Público Federal que teve início em 2007 apura suposto envolvimento do ex-presidente do Corinthians em uma equema de lavagem de dinheiro que seria comandado por Kia Joorabichian (foto), o iraniano que viabilizou a parceria entre o Corinthians e o fundo de investimentos MSI, entre 2005 e 2007. LEIA MAIS

Futebol