PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Polêmico durante 'novela', Léo ignora saída de Ganso: "só o Pelé é imprescindível"

Léo criticou diretoria do Santos e pediu desculpas no dia seguinte durante o caso Ganso - Reinaldo Canato/UOL
Léo criticou diretoria do Santos e pediu desculpas no dia seguinte durante o caso Ganso Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

25/09/2012 18h17

O lateral esquerdo Léo, que se envolveu na polêmica negociação do meia Paulo Henrique Ganso ao São Paulo, já que chegou a exigir o fim da “novela”, minimizou a saída do jogador. Para ele, só Pelé seria imprescindível e, por isso, o Santos não sofrerá com a ausência do camisa 10.  

“Olha, acho que só o Pelé era imprescindível. Nenhum outro é imprescindível. Outros jogadores vão entrar e procurar dar conta. Ele fez a parte dele, viu a parte dele, outros jogadores têm que entrar e dar conta do recado”, afirmou Léo, que se esquivou sobre o desfecho do “caso Ganso”. 

“Eu não sei se era o final. Se bem que eu não tenho o que querer. Mas acabou. Cada um segue sua vida. O Santos está seguindo sua vida. Acabou, página virada”, disse.

Em meia às negociações entre Santos e São Paulo, Léo reconheceu que “extrapolou” ao criticar os dirigentes do clube em relação ao caso Paulo Henrique Ganso e alegou que sua intenção era apenas “manifestar solidariedade a atletas que marcaram seus nomes com a camisa do Santos”.

Léo fez diversas críticas à diretoria, destacando que o impasse no destino de Ganso estava prejudicado o rendimento do clube no Brasileirão.

“É coisa de renova, não renova, grupo gestor, empresário, sei lá o que. Chega! Tem que valorizar o que foi campeão aqui. Ele é um menino ainda. Com todo respeito, por que o time precisa valorizar os que chegam de fora?”, disparou na época.

Futebol