PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Hoje pastor, César Prates diz que ensinou faltas e foi até "cabeleireiro" de Cristiano Ronaldo

César Prates, ex-lateral da seleção brasileira, Corinthians e Real Madrid - Lili Martins/Folhapress
César Prates, ex-lateral da seleção brasileira, Corinthians e Real Madrid Imagem: Lili Martins/Folhapress

José Ricardo Leite

Do UOL, em São Paulo

11/09/2012 11h00

Cristiano Ronaldo tinha apenas 16 anos quando fez em 2001 seu primeiro jogo como profissional pelo Sporting, seu clube de coração. Naquela época, a então “joia” do clube de Lisboa já era marrento e metrossexual. E o garoto que depois seria o melhor jogador do mundo era fã de um brasileiro que lhe dava conselhos, ajudava aprimorar sua técnica e até na sua produção para jogar “bonito” em campo na época em que amadurecia.

O ex-lateral César Prates, que já passou por Real Madrid, Corinthians, Internacional e seleção brasileira, entre outros, era um dos mais próximos do atleta da Ilha da Madeira quando este subiu para o profissional do Sporting. Naquele primeiro ano juntos, a equipe foi campeã portuguesa. No total, Prates e Ronaldo foram companheiros por mais de três anos.

O ex-defensor , que após pendurar as chuteiras virou pastor em uma igreja em Balneário de Camboriú (SC), conta que o hoje ídolo do Real Madrid era fã dos jogadores brasileiros e que procurava aprender com eles.

“Ele é muito legal, tenho uma história bonita com ele. Ele tinha 16 anos e falava que seria melhor do mundo. Ele falava pra mim e pro André [Cruz, ex-zagueiro] que seria o número um. Eu sempre ficava brincando com ele com a bola depois do treino", lembra Prates.

EX-COMPANHEIROS DE SPORTING

  • REUTERS

    César Prates (esq.) entre italiano Inzaghi e o zagueiro André Cruz em jogo contra o Milan, em 2001

“E lá [Portugal] os defensores não costumam ter habilidade com a bola. Eu brincava com ele que o que um de nós fizesse com a bola, o outro teria que tentar fazer igual. E ele ficava encantando quando eu conseguia fazer algo que ele fez”, continuou.

César Prates sempre fez muitos gols de falta e foi batedor em muitas equipes pela qual passou. Ele conta que até ajudou o português a construir o estilo que hoje usa para as cobranças de falta.

“Uma coisa muito legal foi que eu batia faltas e chamava ele. Ensinava a fazer cobranças de falta. Foi algo legal. Quando eu vejo ele batendo na bola, fico muito feliz. Vejo que não sou responsável direto, mas era uma das virtudes que eu tinha e não queria que ficasse só comigo. Ele ficava batendo 20, 30 bolas depois do treino. Eu chamava ele e ensinava. Ele ouviu e colocou aquela postura.”

Cristiano Ronaldo vive hoje um momento desconfortável no Real Madrid. Chegou a dizer que está infeliz no clube por supostamente não ser valorizado como deseja. Não comemorou seus últimos gols pela equipe e se disse triste.

O jogador brasileiro, que viu o português começar na carreira, conta que desde a infância ele tinha personalidade mimada e metrossexual. Que até chorava quando o time perdia alguma partida.

“Ele é o principal jogador do Real Madrid hoje, mas ele tem aquela coisa de ser bajulado. O Cristiano Ronaldo que vejo agora é o que conheci com 16, 17 anos e que chegou da Ilha da Madeira. Ele se acha o cara. Quando eu vejo ele se olhando no telão para ver se está bonito, penso que nada mudou. No vestiário ele era assim. Imagina que agora tudo se colocou a seus pés”, falou Cesar Prates.

“Ele era assim, quando perdia ele chorava. Ele voltava chorando no ônibus e no vestiário. Você tinha que conversar com ele, passar a mão na cabeça. Eu entendo porque vivi três anos e meio com ele. Ele quer assumir tudo sozinho, mas não é assim.”

O brasileiro ajudou até no lado vaidoso do craque. Conta que ajudou a deixar o cabelo do craque liso depois que este viu o lateral com um penteado que o agradou.

“O Cristiano era assim. O cabelo dele não era liso. E eu usava cabelo comprido e liso. E negão sempre tem cabelo ´black´. Eu usava cabelo comprido liso porque eu passava um produto pra alisar. E aí o que acontecia? Eu passava no cabelo dele também. O cabelereiro dele era o César Prates”, brincou o ex-lateral. “Mas ele era um garoto legal e nos tinha como exemplo.”

Cesar disse ter perdido o contato com o português depois que ele se transferiu para o Manchester United, em 2003. Não se falaram mais. Mas diz que pretende ir para Madri futuramente para rever seu antigo clube e também reencontrar o ex-companheiro. Mas diz que não dará nenhum conselho especial.

“O que eu poderia falar pro Cristiano? Ele foi campeão, ele é o craque da atualidade. O que eu poderia dizer é só para ele olhar pra frente”, finalizou.

Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo
#dev_albumEmbed010('tagalbum','14184')

Tradutor:

Futebol