PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Carmona comemora gol histórico e admite perda de confiança após estreia no Palmeiras

Pedro Carmona admite que perdeu a confiança após estreia no Palmeiras - Luiza Oliveira/UOL
Pedro Carmona admite que perdeu a confiança após estreia no Palmeiras Imagem: Luiza Oliveira/UOL

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

16/01/2012 18h54

Herói da vitória do Palmeiras diante do Ajax no último sábado, Pedro Carmona admite que perdeu a confiança logo na sua estreia na equipe paulista, no  meio do ano passado, diante do Atlético-GO. O meia de 23 anos, que foi contratado do Criciúma, afirmou que seu primeiro passe com a camisa palmeirense foi errado e disse que só o tempo poderia fazer com que ele voltasse a desenvolver um bom futebol.

Até por isso, Carmona comemora ainda mais o gol que deu a vitória ao Palmeiras no amistoso. Para ele, a cabeçada entrará para a história do clube, já que o tento foi marcado no jogo de despedida de Marcos dos gramados. Por causa do adeus, aliás, o meia já havia combinado com Maikon Leite a comemoração em caso do gol: Uma simulação de uma batida de pênalti e a comemoração de joelhos, erguendo as mãos para os céus, após a defesa imaginária.

“Só depois que caiu a ficha de que eu tinha entrado para a história. Eu marquei um gol na despedida de um ícone, com a camisa com o nome dele, até com o número dele (12), só que invertido (21). É muito bom para mim. Já tinha combinado com Maikon Leite no vestiário a comemoração e deu tudo certo”, disse Carmona. “Todo jogador tem que ter ambição, almejar uma coisa maior, e o Palmeiras é um dos maiores da América. Não vou dizer que senti a pressão, mas tudo depende da confiança e logo meu primeiro passe foi errado. Aí perdi a confiança e só recuperaria com o tempo, treinando com caras que nem Valdivia e Assunção, que quase nunca erram”, completou.

Com a concorrência de Valdivia, Daniel Carvalho, Tinga e Patrik para ganhar uma posição entre os armadores da equipe, o jogador afirmou que espera ter sequência de jogo para poder cair nas graças de Luiz Felipe Scolari e também do torcedor palmeirense.

“No ano que passou, eu joguei pouco. Tive poucas oportunidades. Logo na minha primeira partida, eu não fui bem, mesmo jogando só 15 minutos. Contra o Santos, pouco pude jogar porque foi uma partida muito truncada. Contra o Vasco eu já fui bem. Esse ano, iniciando com um gol, posso ir muito bem. Não adianta ficar jogando dez minutos. Eu tenho que adquirir confiança para poder render bem”, afirmou Carmona.

O Palmeiras estreia no Campeonato Paulista neste domingo, às 17h, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, diante do Bragantino. A princípio, Carmona deverá estar no banco de reservas, saindo atrás na briga com Valdivia e Tinga, os prováveis titulares do meio de campo de criação palmeirense. Acima do peso ideal, Daniel Carvalho ainda não tem estreia definida, enquanto que Patrik, machucado, não deve nem ser relacionado.

Nesta segunda-feira, sob chuva fina em São Paulo, os jogadores só fizeram musculação na Academia de Futebol e não foram para o campo. 

Palmeiras