1. Colo-Colo CCL
    Independiente del Valle IDV
  2. Nacional (URU) NAC
    Rosario Central RCE
  3. Deportivo Cali DCA
    Bolívar BLV

Quinta-feira 14/04/2016 - 21:45

Allianz Parque, São Paulo

6ª rodada

4
Palmeiras Palmeiras
  • Alecsandro
  • Allione
  • Allione
  • Egídio
Pós-jogo
0
River Plate-URU River Plate-URU

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Como foi o jogo

  • Primeiro tempoO Palmeiras começou o jogo a mil por hora e antes do dois minutos arriscou um chute a gol, com Robinho, que bateu fraco nas mãos do goleiro Pérez. Aos oito, Jean cruzou com perigo e Barrios não conseguiu cabecear em cheio na área. A bola sobrou para Robinho, que acabou desarmado na marca do pênalti. O meia, pouco depois levantou na área e Allione quase alcançou. A resposta do River veio no lance seguinte: o Palmeiras errou na saída de bola e viu Rosso errar a conclusão ao tocar por cima de Prass. Aos 15, Barrios bateu de fora da área e viu o goleiro fazer a defesa no meio do gol. Na sequência, Allione serviu Robinho na área, que conclui mal para fora. O Palmeiras, então, abriu o placar pouco depois. Robinho fez a jogada na meia-lua, Egídio ficou com a bola, invadiu a área e bateu na saída do goleiro. Barrios, aos 30, bateu à queima-roupa na pequena área e parou no arqueiro uruguaio. Em seguida, Allione bateu colocado e mandou rente à trave esquerda. Aos 38, Barrios fez o segundo gol, mas o árbitro marcou falta de Alecsandro na área. Thiago Martins, seis minutos depois, quase balançou a rede depois de cabeçada na área -- Pérez fez boa defesa. Allione, porém, fez 2 a 0 aos 48, depois de receber passe em profundidade de Alecsandro e tocar cruzado para o gol.
  • Segundo tempoA equipe alviverde voltou para a etapa final com menos intensidade, talvez por causa do resultado no Uruguai. O primeiro lance de perigo só ocorreu aos 11 minutos, em chute de longe de Barrios. Em seguida, Vitor Hugo cabeceou com perigo após cobrança de escanteio e mandou por cima do gol. Aos 16, o River assustou o Palmeiras em jogada área, com Flores -- a bola, porém, saiu pela linha de fundo.No lance seguinte, Cleiton Xavier chutou de longe nas mãos do goleiro. Aos 19, Erik concluiu na pequena área e viu Pérez fazer boa defesa. O atacante, pouco depois, concluiu na frente do arqueiro e chutou para fora. Aos 25, Allione marcou o terceiro, logo após o Rosario fazer 2 a 0 em Montevidéu -- o meia argentino completou cruzamento por baixo na pequena área. Dez minutos depois, Alecsandro foi derrubado na área e marcou o quarto de pênalti.

Destaques

  • Cleiton Xavier, o retornoO meia voltou aos gramados depois de 239 dias. O camisa 10 perdeu 48 jogos seguidos do Palmeiras. Último jogo do camisa 10 foi disputado no dia 19 de agosto, contra o Cruzeiro, no Allianz Parque.
  • Marca negativaCom os resultados, o Palmeiras voltou a ser eliminado na primeira fase da Libertadores depois de 37 anos, desde 1979 -- desde então, o time conseguiu ir às oitavas em nove edições.
  • Gramado longe dos 100%O Palmeiras voltou a atuar no Allianz Parque depois de 37 dias e encontrou um gramado longe das condições ideais. A arena alviverde, nesse período, recebeu três grandes shows musicais.

Melhores

  • Alecsandro, PalmeirasNo primeiro tempo, o atacante destacou-se pela entrega em campo e pelo belo passe para Allione fazer o segundo gol palmeirense. Na etapa final, marcou um gol de pênalti.

Piores

  • Robinho, PalmeirasO meia conseguiu dar a assistência para o gol de Egídio, mas pouco fez no restante do jogo. O camisa 27 não deu velocidade ao meio-campo alviverde e acabou substituído por Cleiton Xavier no segundo tempo.

Próximos Jogos - Palmeiras

  1. Corinthians COR
    Palmeiras PAL
  2. Palmeiras PAL
    Grêmio GRE
  3. Palmeiras PAL
    São Caetano SCA
  4. Palmeiras PAL
    Ferroviária FER
  5. São Bento SBE
    Palmeiras PAL

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos