PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Rony chegou a oferecer o número 7 de volta à diretoria do Palmeiras

Rony, camisa 7, comemora seu gol contra Red Bull Bragantino, pelo Paulistão - Cesar Greco
Rony, camisa 7, comemora seu gol contra Red Bull Bragantino, pelo Paulistão Imagem: Cesar Greco

Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

29/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

Antes de o Palmeiras se decidir por envolver o marketing na criação do conceito da camisa 43 —ou 4+3—, Rony ofereceu a devolução do número 7 à diretoria alviverde. Conforme atestou ao UOL um membro do estafe do jogador, o Palmeiras, por vários motivos, agradeceu e recusou prontamente.

Em primeiro lugar, em respeito a Rony. E, do ponto de vista prático, porque não seria possível fazer qualquer alteração de numeração na Copa Libertadores. Assim, ainda que fosse o 7 no Brasileirão, Dudu teria outro número no torneio continental. Desse modo, optou-se por criar um novo número, definido em um processo a várias mãos. A possibilidade de se obter um sete subliminar, somando-se os dois algarismos da dezena, fez com que o 43 fosse escolhido.

Torcida do São Paulo homenageará Hernanes com bandeira no Morumbi

Hernanes deixou o time do São Paulo, mas seguirá presente nas arquibancadas do Morumbi. O meia será um dos 20 ídolos do clube homenageados pela Independente, principal torcida organizada são-paulina, na segunda fase do projeto "Morumbi Raiz", que busca dar uma nova identidade visual às arquibancadas do estádio. A torcida organizada pretende estrear contra o Palmeiras, no dia 10 de agosto, pela Libertadores, as bandeiras com os rostos dos jogadores que fizeram história no São Paulo. Além de Hernanes, Rogério Ceni, Lugano, Amoroso e Mineiro, campeões da Libertadores de 2005, serão alguns dos outros homenageados. (Por Brunno Carvalho)

Inter sonda Pedro Rocha, mas negociação não avança

O Internacional sondou a situação do atacante Pedro Rocha. O jogador, com passagem recente pelo Flamengo, foi oferecido por seu estafe à direção do clube gaúcho. O molde seria empréstimo, facilitado pelo Spartak Moscou, clube com o qual tem contrato. No entanto, a negociação não avançou, pois não houve consenso sobre o quanto ele agregaria ao time. Além disso, Pedro Rocha pesaria na folha de pagamento do Colorado, que passar por processo de reestruturação financeira. Aos 26 anos, o atacante foi relegado ao time B do Spartak e só fez dois jogos oficiais em 2021. (Por Marinho Saldanha)

Botafogo faz seleção para escolher novo fornecedor de uniforme

O Botafogo está fazendo um processo seletivo para escolher o futuro do fornecimento de material esportivo do clube. A diretoria espera anunciar o vencedor em breve e há quatro possibilidades. Atual parceira alvinegra, a Kappa é uma delas, assim como uma empresa que viria para conduzir o projeto de marca própria para o Botafogo. O contrato do Botafogo com a Kappa se encerraria ao fim do primeiro semestre, mas sofreu um aditivo para prorrogar o acerto até o fim de 2021. O novo diretor de negócios do Botafogo, Lênin Franco, já ganhou a condução do processo como incumbência, ao lado do CEO Jorge Braga. No emprego anterior, no Bahia, Lênin liderava o departamento do clube responsável pela marca própria do clube. (Por Igor Siqueira)