PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

Fla vê acordo travado com Jesus e adota "tática Gabigol" em negociação

Presidente Rodolfo Landim (e) e técnico Jorge Jesus (d) ainda costuram acordo por permanência do português no Flamengo - Thiago Ribeiro/AGIF
Presidente Rodolfo Landim (e) e técnico Jorge Jesus (d) ainda costuram acordo por permanência do português no Flamengo Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes

Do UOL, no Rio de Janeiro e em São Paulo

27/05/2020 04h00

A incerteza quanto ao retorno dos jogos é uma peça-chave nas conversas para a renovação de contrato de Jorge Jesus com o Flamengo. Sem a certeza de que as competições serão retomadas normalmente (e quando), as partes esbarram em questões referentes aos valores de premiações por títulos. Este dinheiro é parte relevante do montante previsto nas negociações para o novo contrato do português, que termina no dia 19 de junho. Ao passo que o papo segue, ainda que não haja expectativa por um desfecho em breve, o clube mudou a tática e faz da proximidade do fim do acordo como um trunfo.

Assim como ocorreu durante a negociação com Gabigol, que se acertou quando já não estava vinculado aos cariocas, o Fla entende que pode afrouxar a corda por um "sim", já que não há perspectiva real de volta aos jogos. Anteriormente, o Rubro-negro havia fixado o marco de um mês como uma espécie de data limite para a resolução, mas o entendimento agora é outro. Com o fim do contrato vigente se aproximando do fim, o Flamengo entende que ganha mais fôlego para negociar em termos mais favoráveis. A alta do euro é outro ponto que está na mesa, visto que os rubro-negros tentam chegar a um consenso em bases mais flexíveis do que as atuais. A moeda europeia está cotada em R$ 5,89. (Por Leo Burlá)

Cruzeiro cedeu direitos de joias para quitar dívida de R$ 2 milhões em 2013

O Cruzeiro cedeu percentuais de direitos econômicos de atletas a Pedro Lourenço, um dos credores do clube, para quitar uma dívida de R$ 2,150 milhões em 10 de outubro de 2013. À época, a diretoria liderada por Gilvan de Pinho Tavares repassou percentuais de Alisson (10%), Bruno Viana (10%), Elber (20%), Eurico (5%), Lucas Silva (20%), Lucca (5%), Mayke (20%) e Vinícius Araújo (10%) para pagar o débito contraído pela gestão anterior, presidida por Zezé Perrella, com o empresário dono do Supermercados BH. A cessão de direitos a investidores era permitida pela Fifa na ocasião. A mudança no regulamento ocorreu em maio de 2015. (Por Thiago Fernandes)

Grêmio espera propostas da Europa por pelo menos três jogadores

O Grêmio espera receber propostas por, pelo menos, três jogadores do elenco principal, quando a janela de transferências da Europa reabrir. Além de Everton Cebolinha, na mira do Napoli, os dirigentes estimam que Matheus Henrique e Pepê também recebam ofertas. Outro nome valorizado é Jean Pyerre, que consta em lista de observação de Atalanta e Monaco. A diretoria já admite que pode negociar Cebolinha, 24 anos, e mais outro atleta. O orçamento de 2020, antes da pandemia, apontava para arrecadação de R$ 88 milhões com vendas. (Por Jeremias Wernek)

Santos cita covid-19 para congelar dívida com empresário; Justiça recusa

O Santos citou a crise causada pela pandemia do novo coronavírus para tentar congelar uma dívida acordada em R$ 268 mil com o empresário Giuliano Bertolucci. A Justiça, no entanto, negou o pedido santista com base na data do acordo feito: dezembro de 2018. Na decisão, o juiz cita "com o devido respeito não se pode comprometer o cumprimento de acordo judicial pretérito e cujas previsões de pagamento já deveriam ter sido programadas independentemente da Pandemia COVID-19". A Justiça ainda determinou que o agente trate diretamente com o Santos sobre a dívida. Em documento publicado oficialmente sobre pagamentos de dívidas de gestões anteriores, o Santos cita um débito de mais de R$ 8,1 milhões com Bertolucci, mas afirma só reconhecer R$ 2 milhões. (Por Eder Traskini)

Atlético-MG: Jorge Sampaoli sugeriu fim do time de transição

A diretoria de futebol do Atlético-MG deve acatar uma sugestão de Jorge Sampaoli. O argentino pretende acabar com o time de transição, criado durante a gestão de Rui Costa à frente do futebol. O técnico crê que não é necessário ter uma equipe com atletas até 23 anos para avaliar possíveis nomes para o elenco profissional. A intenção do argentino é que o Galo fique com 23 jogadores no time profissional e 17 nomes na equipe sub-20, último estágio antes da profissionalização dos atletas. A recomendação do comandante deve ser seguida pelo departamento de futebol. Alguns jogadores do time de transição, que tem Leonardo Silva como coordenador, já foram dispensados pelo presidente Sérgio Sette Câmara. Os demais profissionais devem ser realocados na Cidade do Galo. (Por Thiago Fernandes)