PUBLICIDADE
Topo

França

Mbappé explode, iguala Pelé e só aumenta comparações com Ronaldo Fenômeno

Mbappé, da França, durante o duelo contra a Argentina - Lars Baron - FIFA/FIFA via Getty Images
Mbappé, da França, durante o duelo contra a Argentina
Imagem: Lars Baron - FIFA/FIFA via Getty Images

Julio Gomes

Colaboração para o UOL, em Kazan (Rússia)

30/06/2018 12h53

Classificação e Jogos

Prazer, Kylian Mbappé. Tenho 19 anos. Dizem que meu jogo é parecido com o de Ronaldo, o Fenômeno. E, hoje, eliminei a Argentina da Copa do Mundo.

Para quem ainda não conhecia e, no fim das contas, também para essas coisas serve a Copa do Mundo, este é o garoto prodígio do futebol mundial. Mbappé apareceu na penúltima temporada europeia, com o Monaco, semifinalista da Champions League. Há um ano, foi vendido por 180 milhões de euros ao PSG - valor menor só do que o pago por Neymar.

- Confira como foi a vitória da França sobre a Argentina
Veja a tabela completa, as datas e as chaves das oitavas de final
Simule os resultados e veja como ficam as quartas de final 
Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil

A temporada em Paris não foi exatamente a da explosão. Essa só chegou na Copa do Mundo. Mas que explosão... Mbappé fez os dois gols que definiram a vitória francesa, quando o jogo estava empatado por 2 a 2, na cidade de Kazan.  Ele foi o primeiro adolescente a marcar duas vezes em uma mesma partida desde 1958. E sabe quem foi o autor daqueles gols? Pelé, dois gols na final contra a Suécia - e, lembrando, ele já tinha marcado três na semifinais contra a França.

O jogo terminou 4 a 3 para a França e, talvez, o lance mais marcante do novo fenômeno tenha sido o que originou o primeiro gol francês, marcado por Griezmann. Era uma jogada de ataque da Argentina, aos 13min do primeiro tempo. A bola foi recuperada e caiu nos pés de Mbappé, que acelerou por 64 metros, passou pela pesada e lenta defesa adversária e só foi derrubado por Rojo na área. Pênalti.

A explosão lembrou demais as arrancadas de Ronaldo Nazário em seus primeiros anos como profissional, principalmente no PSV e no Barcelona, antes das sérias lesões. Se, no início, Mbappé era chamado de “novo Henry”, agora as comparações passam a ser feitas com gente mais graúda.

“Me lembra muito do Ronaldo da Olimpíada de 96, é este o nível dele”, já havia dito Anelka, ex-atacante do Real Madrid e seleção francesa, ao jornal “L’Equipe”.

A explosão e a aceleração não são as únicas facetas do jogo de Mbappé que geram as comparações com o Fenômeno. O prodígio francês tem muita habilidade, sabe driblar e, o principal, tem muito faro de gol.

"Vocês comparam Mbappé com o Ronaldo de 98, mas eles não têm o mesmo perfil. Mais importante, um já era campeão do mundo naquela época e o outro é um garoto de 19 anos. Ele ainda vai progredir muito, mas já estou muito feliz com o que ele está fazendo em campo", respondeu o técnico francês Didier Deschamps ao ser questionado sobre a comparação.

É verdade que o gol mais decisivo para a França talvez tenha sido o de Pavard, o golaço que empatou o jogo quando a Argentina havia tomado a dianteira e tinha um verdadeiro caldeirão formado nas arquibancadas de Kazan. Mas, uma vez retomado o equilíbrio do jogo, brilhou Mbappé.

Com dois gols bastante diferentes, mostrando a diversidade de seu jogo. No primeiro, após bola espirrada na área, mostrou oportunismo ao puxar a jogada para o lado e finalizar. No segundo, o desmarque característico de Ronaldo, que parecia nunca entrar em impedimento. Velocidade e frieza frente a frente com o goleiro.

Entre os jogadores do PSG, no entanto, o apelido não é nem Ronaldo, nem Henry. Mbappé é Donatello, por lembrar uma das quatro Tartarugas Ninjas. A velocidade dele em campo, porém, não tem nada que nos lembre a de uma tartaruga.

França