PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

Diego Costa fura bloqueio do Irã, e Espanha se aproxima de classificação

Do UOL, em São Paulo

20/06/2018 16h53

Classificação e Jogos

A Espanha teve de lidar com um bloqueio do Irã no campo de defesa, mas contou com a estrela e o oportunismo de Diego Costa para vencer por 1 a 0 nesta quarta-feira (20), na Arena Kazan, em confronto válido pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo.

- Assista aos melhores momentos de Irã 0 x 1 Espanha

Com as vitórias de placar igual obtidas nesta quarta, Portugal e Espanha estão totalmente empatados na liderança da chave, com quatro pontos e o mesmo número de gols feitos e sofridos. Para avançar, a Fúria precisa apenas empatar com a já eliminada equipe do Marrocos.

O Irã ainda tem os três pontos conquistados na estreia contra os marroquinos, mas seu milagre para ir às oitavas depende de vencer os portugueses na próxima segunda (25), às 15h.

O melhor: Diego Costa

diego costa - AFP PHOTO / Roman Kruchinin - AFP PHOTO / Roman Kruchinin
Imagem: AFP PHOTO / Roman Kruchinin

Nervoso, mas decisivo no lugar certo, na hora certa. Diego Costa precisa agradecer à sua própria sorte pelo lance que deu a vitória para a Espanha aos 9 do segundo tempo, já que a bola bateu em Rezaeian e rebateu nele antes de seguir para o cantinho do gol.

Durante o primeiro tempo, um dos sintomas dos erros de passes da Espanha no último terço do campo foi o isolamento de Diego Costa. O centroavante não recebia a bola em condições de concluir. Aos 22, pareceu ter sido derrubado na entrada da área, e o árbitro nada apitou.

Posteriormente, em lance bem discutível ainda na primeira etapa, Diego tentou pressionar o goleiro Beiranvand na saída de jogo, foi acusado de ter pisado no pé do adversário, se irritou, teve de ser cercado pelos companheiros e ouviu um sermão do árbitro Andres Cunha.

O pior: a estratégia do Irã

irã - François Nel/Getty Images - François Nel/Getty Images
Imagem: François Nel/Getty Images

Na impossibilidade de escolher um culpado pela derrota, vamos com esta resposta. É bem verdade que a seleção iraniana entrou em campo abraçada à vitória no primeiro jogo contra Marrocos e à consciência de que não precisava se expor, mas sua estratégia de recuar e abrir mão da bola transformou a partida em um grande treino de ataque x defesa. Para sua sorte (ou azar dos adversários), a Espanha demorou para acertar o último passe no ataque.

Espanha erra último passe e demora a chutar

O número de passes certos da seleção espanhola não foi baixo (88%, sendo 719 acertos de 819 tentativas nos 90 minutos), mas a equipe passou muito tempo errando justamente no último terço do gramado, onde poderia decidir a partida. Ou seja, acertou tudo na intermediária, mas falhou nos toques mais importantes e foi pouco objetiva.

Chutar de longa distância indiscriminadamente não costuma ser característica da Espanha, de modo que a equipe não se mostrou disposta a procurar esta alternativa no primeiro tempo, nem mesmo com os erros constantes no último passe. Não à toa, a primeira grande chance da Fúria foi com um chute de Busquets de fora da área aos três do segundo tempo.

Jogadas de infiltração também não funcionavam. Embora travado, David Silva foi quem mais tentou chutar no primeiro tempo. Isco foi outro a se destacar no time de Fernando Hierro para o bem e para o mal, considerando que se apresentou como articulador, mas irritou a torcida ao demorar demais algumas vezes para soltar a bola.

Gol bem anulado com o VAR

irã - Julian Finney/Getty Images - Julian Finney/Getty Images
Imagem: Julian Finney/Getty Images

Ezatolahi pareceu chorar quando a arbitragem apitou impedimento e anulou seu gol, mas o juiz uruguaio Andres Cunha acertou na decisão tomada com o suporte do árbitro de vídeo.

Lance assustou espanhóis

Aos sete minutos do segundo tempo, os iranianos fizeram a Espanha inteira tremer. Karim, o camisa 10, aproveitou um desvio dentro da área e chutou de primeira para o gol de De Gea. A bola fuzilou a rede pelo lado de fora, em lance que muito provavelmente surpreenderia o goleiro espanhol se tivesse acertado o alvo.

Hierro tenta moldar time

Pouco a pouco, Fernando Hierro começa a moldar a seleção com suas preferências. Recuperado da lesão muscular sofrida na final da Liga dos Campeões, Carvajal voltou ao time nesta quarta. No empate em 3 a 3 com Portugal, a vaga na lateral direita tinha ficado com Nacho, que cometeu um pênalti sobre Cristiano Ronaldo e fez um dos gols. Outra mudança foi a entrada de Lucas Vazquez no lugar de Koke.

100 vezes Piqué. Voa!

piqué - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

O zagueiro do Barcelona já anunciou que não voltará a atuar pela Espanha após a Copa da Rússia, mas, com a proximidade da classificação, ainda deve ter muito chão pela frente neste Mundial. Contra o Irã, completou 100 partidas com a camisa da seleção que defende desde 2009. Antes de a bola rolar, protagonizou uma cena bonita ao resgatar um passarinho.

FICHA TÉCNICA
IRÃ 0 X 1 ESPANHA

Data e hora: 20 de junho de 2018, às 15h (de Brasília)
Local: Arena Kazan, em Cazã, na Rússia
Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)
Auxiliares: Nicolas Taran e Mauricio Espinosa (ambos do Uruguai)
Cartões amarelos: Amiri e Omid Ebrahimi (Irã)
Gols: Diego Costa, aos 9 do segundo tempo (Espanha)

IRÃ: Beiranvand; Ramin, Hosseini, Pouraliganji, Haji Safi (Mohammadi); Omid Ibrahimi, Ezatolahi, Karim (Jahanbaksh), Mehdi e Amiri (Ghoddos); Sardar
Técnico: Carlos Queiroz

ESPANHA: De Gea; Carvajal, Piqué, Sergio Ramos e Alba; Sergio Busquets, Iniesta (Koke), David Silva, Isco e Lucas Vazquez (Asensio); Diego Costa (Rodrigo)
Técnico: Fernando Hierro

Copa 2018