PUBLICIDADE
Topo

Copa 2018

História e crise: com Piqué em foco, Espanha encara o Irã para evitar zebra

Zagueiro entrará em lista seleta e completará 100 jogos pela seleção principal da Espanha - AFP
Zagueiro entrará em lista seleta e completará 100 jogos pela seleção principal da Espanha Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo

20/06/2018 04h00

Classificação e Jogos

A Espanha deixou para trás aquele que deve ser seu principal desafio na fase de grupos da Copa do Mundo de 2018, na Rússia: o jogo contra Portugal. Com o empate por 3 a 3 da estreia na conta, os comandados de Fernando Hierro agora voltam a campo nesta quarta (20), às 15h (de Brasília), para o jogo contra o Irã em Kazan.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

A partida pela segunda rodada do Grupo B começa às 15h e terá um sabor especial para Gerard Piqué. Afinal, será a 100ª partida do zagueiro a serviço da seleção principal espanhola.

Ao longo da carreira, Piqué fez uma carreira sólida nas seleções de base espanholas entre 2002 e 2008. O ponto alto foi a conquista do título europeu sub-19 de 2006, em um time que tinha ainda como destaques o atacante Juan Mata (hoje no Manchester United), o volante Javi García e o goleiro Antonio Adán (ambos no Real Betis).

Já em 2009, Piqué ganhou suas primeiras chances na seleção principal. Em 11 de fevereiro, foi titular na vitória por 2 a 0 sobre a Inglaterra, em amistoso na cidade de Sevilha. Um mês depois, em 28 de março, fez sua estreia oficial diante da Turquia, em jogo pelas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2010. Os espanhóis venceram aquele jogo por 1 a 0, graças a um gol do próprio Piqué.

Espanha time posado em 2009 - Jasper Juinen/Getty Images - Jasper Juinen/Getty Images
Piqué estreou pela Espanha em 2009; contra a Turquia, fez seu primeiro gol
Imagem: Jasper Juinen/Getty Images

Desde então, o zagueiro virou peça-chave da mais vitoriosa geração da história da seleção espanhola. Foi campeão da Copa do Mundo de 2010 e da Eurocopa de 2012, além de ter sido vice-campeão da Copa das Confederações em 2013. Sobrevivente da eliminação espanhola na fase de grupos da Copa do Mundo de 2014, chegou ao Mundial de 2018 como uma referência na seleção.

Com a partida desta quarta-feira, Piqué será apenas o 13º jogador a atingir a marca de 100 jogos pela Espanha. Não por acaso, quatro jogadores convocados para a Copa de 2018 já atingiram o feito: Sergio Ramos (153), Andrés Iniesta (128), David Silva (122) e Sergio Busquets (104). Dos 10 jogadores que mais defenderam a Espanha, todos com mais de 100 jogos, apenas dois já se aposentaram: o ex-goleiro Andoni Zubizarreta (126 partidas) e o ex-meio-campista Xavi Alonso (114).

Documentário de Griezmann é fantasma para jogo

Mas o marco histórico não vem em bom momento para Piqué. Mais uma vez, por conta de uma influência dos clubes espanhóis sobre a seleção do país.

Ao longo do primeiro semestre de 2018, o Barcelona deixou claro seu interesse em contar com o atacante Antoine Griezmann como reforço para a temporada 2017/2018. Questionado a respeito, Lionel Messi já havia inclusive elogiado o francês, embora em discurso bastante evasivo.

Só que Griezmann optou pela permanência no Atlético de Madri. Para anunciar a informação, na última quinta-feira (14), foi exibido um minidocumentário chamado La Decisión sobre sua carreira em um canal espanhol de TV por assinatura.

O vídeo foi produzido pela Kosmos Studios, empresa que tem Piqué entre seus sócios. A produtora acompanhou Griezmann desde abril para produzir o documentário, registrando inclusive momentos de fundamental importância na negociação. Diante da negativa do francês ao Barcelona, Piqué ficou em maus lençóis com a cúpula do clube.

Por isso, após o 3 a 3 contra os portugueses, Piqué veio a público e se defendeu. “A ideia aconteceu há alguns meses que falei com Griezmann. Ele me disse que havia a possibilidade de ir para o Barcelona, e eu sugeri a ele que gravássemos, que poderia ser um conteúdo muito bom para as pessoas verem como uma decisão importante é tomada internamente. A partir daí eu, obviamente, me desconectei. Não estava gravando para ver o que ele tinha a dizer”, explicou.

A missão agora de Piqué e companhia é evitar surpresas contra o Irã. O time asiático estreou vencendo o Marrocos por 1 a 0, graças a um gol contra de Aziz Bouhaddouz no fim do jogo, e terminou a primeira rodada na primeira colocação do Grupo B. Sonhando com uma vaga nas oitavas de final, o time comandado por Carlos Queiroz tem a seu favor o otimismo – afinal, não vencia um jogo desde o 2 a 1 sobre os EUA na Copa de 1998.

Copa 2018