Topo

Copa 2018


Ganhar do Brasil é "difícil, mas não impossível", diz jogador da Costa Rica

Daniel Colindres, atacante da Costa Rica - Olga Maltseva/AFP
Daniel Colindres, atacante da Costa Rica Imagem: Olga Maltseva/AFP

Lancepress

18/06/2018 17h35

A Costa Rica pretende aproveitar os possíveis espaços deixados pelo Brasil no jogo de sexta-feira (22), em São Petersburgo, pois acredita que a seleção brasileira precisa do resultado depois do tropeço contra a Suíça na estreia e, por isso, será obrigada a atacar. Decepcionados com o resultado negativo contra a Sérvia na estreia, os Ticos, apelido da equipe costarriquenha, tentam encontrar motivos para serem otimistas.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

"A maior virtude da Costa Rica é que ela é ordenada taticamente. O Brasil tem que ir para ganhar e haverá espaços. O mais importante é tentar aproveitar as opções. Sabemos que é difícil mas não impossível, e nós estaremos lá", disse o atacante Daniel Colindres.

Na mesma linha do companheiro, o zagueiro Kendall Waston também destacou que a organização defensiva será crucial para a Costa Rica tentar vencer o jogo apostando em contra-ataques rápidos. O beque admitiu que o gol marcado pela Sérvia e a derrota no jogo da estreia deixaram o time um tanto quanto abalado.

"Quando eles têm a bola, podemos fazer um bom bloqueio e tentar encontrar a reação. Isso não significa que vamos defender todo o jogo. Temos que levantar o ânimo, porque isso não terminou. O próximo jogo é muito difícil, mas não impossível, espero que possamos surpreender", ponderou.

Mais Copa 2018