Topo

Mauricio Stycer


Copa começa com cerimônia de abertura mixuruca, falhas no áudio e sem vaias

Cantor pop Robbie Williams canta para o público na abertura da Copa em Moscou - Getty Images
Cantor pop Robbie Williams canta para o público na abertura da Copa em Moscou Imagem: Getty Images
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

14/06/2018 12h12

Evento importante nos Jogos Olímpicos, a cerimônia de abertura não é levada tão a sério em Copas do Mundo. Mesmo assim, a oferecida pela Rússia nesta quinta-feira (14) conseguiu ficar abaixo do que se espera deste breve rito.

A principal atração do evento foi o britânico Robbie Williams, um cantor, com todo respeito, do segundo time do pop. Ele se apresentou inicialmente com soprano russa Aida Garifullina, "uma das jovens vozes mais aclamadas da Rússia", e em seguida em um breve show.

Além de pouco atraente, o show ainda foi prejudicado, ao menos na transmissão da TV no Brasil, por problemas de áudio – um problema grave em números musicais.

O ex-jogador Ronaldo apareceu brevemente, como previsto. Galvão Bueno, contido, não cometeu nenhuma gafe durante a cerimônia mixuruca. Sinceramente sentido, lamentou muito a ausência de Pelé, que deixou de participar do evento por problemas de saúde.

Globo registra crescimento de 150% com audiência da abertura da Copa

Como de praxe, a abertura contou, ainda, com um breve discurso de boas vindas do presidente da Rússia, Vladimir Putin, e do presidente da FIFA, Gianni Infantino. Aparentemente, o público mostrou educação e não houve ofensas a nenhum dos dois no estádio, diferentemente do que ocorreu na cerimônia da Copa no Brasil, quando a então presidente Dilma Rousseff foi ofendida por torcedores no estádio do Corinthians, em São Paulo.

Mauricio Stycer