PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Globo aumenta valor e leva vantagem por Copa do Brasil; SBT está na disputa

Taça da Copa do Brasil (Foto: Thais Magalhães/CBF) -
Taça da Copa do Brasil (Foto: Thais Magalhães/CBF)
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

22/06/2022 04h00

A Globo leva vantagem para renovar o contrato de direitos de transmissão da Copa do Brasil. O grupo carioca fez uma proposta maior pelo pacote geral e ainda tem uma cláusula de preferência para renovação de contrato, segundo a coluna apurou com fontes envolvidas na disputa, incluindo a CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Mas ainda não há um acordo sacramentado com a emissora e o SBT segue com chances, tendo feito uma oferta alta para ter o evento em TV aberta.

A Globo é a atual detentora dos direitos da Copa do Brasil, em acordo que se encerra neste ano. A emissora e a CBF abriram negociações, e a oferta não demorou a ser apresentada. A confederação não conduziu um processo de concorrência formal pelos direitos. Isso causou incômodo no SBT, que, posteriormente, também apresentou uma proposta.

A questão é que a Globo fez oferta pelos direitos de TV aberta, paga (SporTV) e streaming. Essa última fatia será sublicenciada em parte para a Amazon. Com isso, conseguiu uma proposta que aumenta o valor atual pago anualmente para a CBF pela Copa do Brasil.

O contrato atual é de pouco mais de R$ 400 milhões após reajustes da inflação. Agora, a proposta da Globo é de pagar um valor que se aproxima de R$ 500 milhões. Para isso, incluiu parte do dinheiro que vai receber da Amazon por jogos. Com esse arranjo, teria sob seu controle todos os jogos com transmissões pela TV aberta e fechada.

O SBT tem interesse só por jogos na TV aberta. Ainda assim, apresentou uma oferta considerada bem alta, segundo apurou o blog. O problema é que outras empresas de TV paga não entraram na disputa, justamente pelo fato de a CBF não ter aberto concorrência formal. A possibilidade de mudança de quadro dependeria de uma a TV paga completar o valor da emissora paulista para concorrer com a carioca.

Além disso, a Globo tem uma cláusula de preferência de renovação em seu contrato. Ou seja, se uma empresa oferecer mais por todos os direitos, a emissora poderá superar o valor e levar o contrato.

Quem poderia concorrer com a Globo eram agências internacionais, como IMG e Infront, que chegaram a fazer proposta por todos os direitos da competição. Mas suas ofertas com mínimo valor garantido foram mais baixas.

Neste cenário, uma reviravolta que tire os direitos da Copa do Brasil da Globo é bastante improvável, já que o seu número é o mais vantajoso sobre a mesa. Mas a diretoria da CBF não tem pressa para assinar um contrato de direitos de transmissão e pode esticar a negociação caso entenda que pode subir valores.

Ainda não está claro por quanto tempo será a renovação com a Globo. Há possibilidade de um acordo mais longo por quatro anos, ou um mais curto de dois anos para fazer nova concorrência.