PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Libra ignora oposição e faz reunião para decidir marca e orçamento

Reunião da Libra em que Textor aderiu com o Botafogo - Divulgação
Reunião da Libra em que Textor aderiu com o Botafogo Imagem: Divulgação
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

18/06/2022 04h00

A Libra (Liga de Clubes dos Brasil) fará uma nova assembleia para na próxima semana para avançar em sua estruturação: estarão em pauta pontos como marca e orçamento para a organização. Além disso, será debatido a melhor forma de receber um possível investimento para compra de parte da Libra. Por enquanto, a organização decidiu esquecer o outro grupo de clubes que se opõe ao seu modelo.

A entidade conta, atualmente, com os clubes de São Paulo das Séries A e B, como Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, além de Flamengo, Vasco, Botafogo e Cruzeiro. O Grêmio também já declarou que deve aderir.

Um grupo de 25 clubes das Séries A e B —liderado por Fluminense, Inter e Atlético-MG— não concordou com a divisão de dinheiro de TV proposta pela Liga. Fundaram um novo grupo que terá estatuto e também governança. O diálogo entre as partes está interrompido no momento.

Depois disso, a Libra decidiu internamente continuar a discutir os critérios de divisão de dinheiro e já fez mudanças no modelo original. Agora, a distribuição dos recursos será de 45% igual, 25% por premiação e 30% por engajamento de torcida. Antes, havia apenas 40% distribuído igual.

Além disso, a Libra retirou os critérios de redes sociais e audiência do item de engajamento de torcida. Outro ponto alterado foi acabar com o voto secreto, que agora se tornará aberto. Alguns dos pontos foram sugestões dos 25 clubes, mas isso não provocou evolução no diálogo.

Agora, em sua terceira assembleia, a Libra quer estabelecer uma marca própria para ter um ponto inicial para comercialização. Ainda será debatido o orçamento necessário para bancar os custos da Liga. Outro ponto em aberto é a estruturação para receber investimentos de fundos para compra de parte da organização.

Por enquanto, não incomoda os membros da Libra que os clubes não tenham aderido. A intenção é avançar com as discussões e espera-los no futuro.