PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Em meio a polêmicas e rixas, CBF faz 130 mudanças na tabela do Brasileiro

Galo e Grêmio foi uma das partidas adiadas do Brasileiro - Getty Images
Galo e Grêmio foi uma das partidas adiadas do Brasileiro Imagem: Getty Images
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

18/11/2021 04h00

A disputa pela marcação de jogos na tabela foi tão acirrada quanto divididas em campo no Brasileiro-2021. Houve discussão sobre adiamentos por datas-Fifa, sobre maratonas, sobre ordem de partidas, sobre extensão do campeonato. Em meio a polêmicas, a CBF fez um total de 130 mudanças na tabela da Série A, em número levantado pelo blog.

Primeiro, é importante que se diga que a tabela do Brasileiro não é historicamente marcada pela estabilidade. As mudanças são constantes. E a Série A já vem de uma edição atribulada disputada em 2020 em meio à fase mais grave da pandemia.

Em comparação, o Brasileiro-2020 teve 146 alterações em jogos. Lembremos que houve adiamentos de partidas por casos de covid, além de restrições em alguns Estados. O São Paulo chegou a ficar com várias rodadas por jogar.

O cenário repetiu-se na atual edição, mas o problema se concentrou na questão dos conflitos entre jogos e a seleção brasileira. O calendário inicial feito pela CBF previa que 18 rodadas seriam afetadas por partidas da Copa América e eliminatórias. Ou seja, times com convocados como Flamengo, Atlético-MG e Palmeiras seriam bastante afetados e, consequentemente, a disputa pela ponta.

A primeira modificação ocorreu com o adiamento de dois jogos do Flamengo do início do campeonato a pedido do clube. A partida do time rubro-negro diante do Grêmio, que seria na segunda rodada, vai ser disputada em 23 de novembro. Assim, ocorrerá seis meses depois.

"Data: remarcação da partida adiada da segunda rodada; horário: ajuste na grade da emissora. SOLICITANTE: CBF/DCO e Grupo Globo", diz a justificativa da CBF na remarcação da partida.

No total, foram 21 partidas do Brasileiro que não foram disputadas nas datas em que deveriam. Por causa da data-Fifa, a CBF adiou cinco jogos da 19ª rodada, parte deles só ocorreu em novembro.

"Adiamento, em caráter excepcional, das partidas de clubes que possuem atletas convocados para Seleção Brasileira; conforme ofício 3104/2021 de 13 de Agosto de 2021", diz a CBF na modificação.

Posteriormente, a CBF prometeu adiar outras partidas em datas-Fifa em novembro. Mas desistiu diante da pressão de sindicato de atletas, clubes como o Atlético-MG e federações —deixou o Flamengo contrariado. No final, nenhum dos dois clubes que disputam a ponta do campeonato ficou plenamente satisfeito e continuaram reclamando da CBF.

Além das datas-Fifa, os clubes ainda definiram adiamentos de partidas por conta da presença de público. O Bahia, único que não podia ter torcida no início de cara, teve sua partida contra o Ceará marcada para nova data.

Na alteração mais recente na tabela, houve inversão de jogos a pedido do Flamengo para facilitar a viagem para Montevidéu. Isso causou reclamação do Sport já que o Grêmio, seu adversário na luta contra o rebaixamento, vai pegar o time rubro-negro nas vésperas da final da Libertadores.

Há as modificações mais rotineiras feitas para ajustes nos horários de televisão —Globo e TNT Sports fazem reivindicações que costumam ser atendidas pela CBF. São o grosso das alterações na tabela, mas tem menor impacto para o campeonato porque significam, em geral, alteração de um dia ou hora.

Questionada pelo blog sobre o alto número de mudanças na tabela, a CBF usou um texto publicado em sua página como explicação:

"Muito importante reiterar que a maior competição do país teve, além de todos os prejuízos causados pela pandemia da Covid-19, desafios extras nesta temporada, como o adiamento de vários jogos por conta de convocações da Seleção Brasileira, da realização da Copa América no país, das mudanças de datas de competições internacionais, da presença de quatro clubes brasileiros nas finais das Copas Libertadores e Sul-Americana, além da transferência de partidas para viabilizar a isonomia em relação ao retorno do público aos estádios.

Por fim, prezando pela transparência na divulgação dos dados, anexamos o histórico detalhado das partidas que foram ajustadas, com seus respectivos motivos e destinos das remarcações."

Os conflitos de jogos do Brasileiro com a Copa América e eliminatórias eram conhecidos desde o ano passado. Haverá novas coincidências de datas na temporada de 2022, ano de Copa do Mundo.