PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Flamengo negocia contrato com a Adidas para 2023 em novos moldes

Flamengo e Adidas lançam nova camisa 2 para a temporada 2021 - Divulgação
Flamengo e Adidas lançam nova camisa 2 para a temporada 2021 Imagem: Divulgação
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

10/11/2021 04h00

O Flamengo negocia com a Adidas um novo contrato de fornecimento de material para 2023, ano em que vence o atual compromisso. Os termos ainda estão sendo conversados. Mas é certo que o clube quer algumas modificações no modelo atual de acordo com prazo mais curto e maior valor em dinheiro.

A diretoria rubro-negra trata como prioridade a conversa com a Adidas. Houve conversas com outras marcas no mercado e levantou-se a possibilidade de fabricação própria. Mas, no momento, essas ideias aparecem como alternativas.

A Adidas paga acima de R$ 40 milhões por ano ao Flamengo, entre mercadoria e dinheiro. E, embora a empresa não trate o mercado brasileiro como prioritário, a perda do Flamengo ia tirar todo o chamariz de lojas da empresa, que teria um impacto de suas operações. Neste ano, deve fechar o ano com a venda de 1,5 milhão de peças, um número recorde do clube.

Do outro lado, o Flamengo não pode apelar a concorrentes tradicionais: a Nike entregou sua operação no país à Centauro, e a Puma tem uma operação menor do que a Adidas. Só uma marca de outro mercado que quisesse entrar forte no país poderia ser uma alternativa.

Outra opção seria a fabricação própria de material, o que já é feito por clubes como Bahia e Fortaleza. O Flamengo conversou com fábricas que poderiam dar garantias mínimas de dinheiro.

Por isso, a conversa com a Adidas é a que mais avança. O objetivo do clube é fazer um acordo que envolva mais pagamento em dinheiro, com menor proporção de material esportivo. Dirigentes relatam que sobra camisa no clube.

Outra questão é manter o contrato com um prazo mais curto do que o anterior. A Adidas assinou com o Flamengo por 10 anos, em negociação feita em 2012.

Mais uma questão são os direitos que a empresa de material esportivo tem atualmente que pode ser mais restrito. Assim, o clube teria espaço para novas parcerias. Mas isso ainda está em negociação.