PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Negociação do Carioca com Globo congela, e há impasse na divisão de receita

Promoção do Carioca com Diego - Reprodução Twitter Flamengo
Promoção do Carioca com Diego Imagem: Reprodução Twitter Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

24/10/2021 04h00

A negociação da Globo para a compra dos direitos do pay-per-view do Carioca congelou, isto é, não há mais conversas em curso. Há uma descrença das duas partes de qualquer acerto para o próximo campeonato. Mais do que isso, há ainda um impasse entre times sobre a divisão do dinheiro para o próximo Estadual.

A Globo deixou o Carioca no meio do ano passado quando rescindiu o contrato com a Fferj e os clubes. Depois disso, no início do ano, ainda fez uma proposta bem mais baixa para retomar os direitos. Mas os clubes optaram pela Record e por um ppv próprio.

Alguns clubes insatisfeitos com os resultados financeiros do Carioca buscaram a emissora para saber se haveria interesse na aquisição do pacote pago para 2022. A Globo chegou a sinalizar com uma proposta em torno de R$ 45 milhões.

Mas houve diversos problemas no meio do caminho: 1) O Flamengo não queria abrir mão da Fla-TV em que tinha maior rentabilidade, o Fluminense também queria manter sua TV 2) Há um processo da Ferj contra a Globo em curso para o qual não houve acordo 3) Os clubes começaram a ter desentendimentos sobre a divisão de recursos.

Neste cenário, as conversas travaram e não têm ocorrido há um tempo. Quem já esteve envolvido com as negociações acredita que o cenário mais provável é um ppv do Carioca sem participação da emissora.

Em paralelo, há discordâncias entre os clubes sobre a distribuição do dinheiro. Times pequenos alegam que, da forma como ocorreu em 2021, ficam com uma parte quase insignificante da receita. Afinal, o contrato de TV Aberta da Recordo será apenas de R$ 15 milhões, e o dinheiro do ppv é recebido pelos grandes por suas TVs. Essas equipes querem, pelo menos, valores dos pacotes vendidos pela Claro. Há um impasse, portanto, em relação ao dinheiro para 2022.