PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Com novos acordos, SporTV ganha 116 jogos do Brasileiro sem Lei do Mandante

Santos terá jogos no SporTV - Getty Images
Santos terá jogos no SporTV Imagem: Getty Images
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

08/10/2021 04h00

A Globo não prevê usar a Lei do Mandante para os novos contratos de TV fechada do Brasileiro assinados com Fortaleza, Ceará, Juventude, Santos e Coritiba. São clubes que tinham acordos com a WarnerMedia, que optou por rescindi-los a partir de 2022. Com os novos clubes, A emissora carioca ganhou 116 partidas extras no SporTV, mesmo sem adotar a Lei do Mandante. A empresa ainda negocia com Palmeiras, Bahia e Athletico.

A WarnerMedia (TNT Sports) anunciou sua saída do Brasileiro e consequentemente a rescisão com sete clubes da Série A na semana passada. A partir daí, as equipes começaram a conversar sobre uma negociação em conjunto que acabou não indo à frente. A Globo procurou individualmente os times que estavam com os direitos livres para a TV fechada.

A emissora carioca fechou acordo com os cinco clubes - quatro da Série A e um da Série B. Foi anunciado pela própria Globo ontem (7). Os termos dos contratos são similares aos de outros times que já estão na Globo. Houve um aviso dos times que acertaram para aqueles que, por enquanto, estão de fora.

O bolo da TV fechada envolve um total de até R$ 550 milhões, divididos proporcionalmente pelos clubes. Desta valor, 40% é dividido igualitariamente, outros 30% são distribuídos por posição, e 30% por número de aparições na TV.

Ainda não há acordo para Palmeiras, Athletico e Bahia. A Globo já fez propostas nos mesmos termos para esses times. Mas uma análise dos times das complexidades do modelo ainda emperra o acerto. O objetivo da emissora é fechar o pacote completo para a SporTV.

Mas, sem esses clubes, a oferta da emissora cresceu consideravelmente na TV fechada. Agora, a Globo tem direito a 272 jogos no SporTV, de um total de 380 no campeonato. Antes, este número era de 156 partidas. Isso tornava limitada a escolha de partidas pela emissora.

A abrangência do pacote podia ser ainda maior porque esses novos acordos estão regidos pela Lei do Mandante. Ou seja, a emissora teria um total de 323 partidas caso utilizasse a nova legislação. Só ficariam de fora os jogos em casa de Palmeiras, Athletico e Bahia. Mas a política da Globo é não usar a Lei do Mandante nos contratos antigos porque esse ponto foi defendido em ações judiciais e em lobby no Congresso Nacional sobre o texto da lei.

O acerto com cinco clubes, no entanto, pressiona os outros três times a se voltar para a Globo. Agora, eles não têm mais um grande pacote de partidas para ser negociado. O Athletico já recusou acordo de pay-per-view com a emissora pela remuneração ser baixa, e o Palmeiras demorou a acertar. Mas, no caso atual, a distribuição dos recursos é igual para acordos de TV fechada.

Rodrigo Mattos