PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

CBF retira ação contra times ingleses após pedido de atletas e ação da Fifa

Gabriel Jesus em atuação pelo Manchester City - Visionhaus/Visionhaus/Getty Images
Gabriel Jesus em atuação pelo Manchester City Imagem: Visionhaus/Visionhaus/Getty Images
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

10/09/2021 20h25

Os nove jogadores da seleção que atuam em times ingleses poderão atuar na rodada do final de semana após um acordo com a CBF. A entidade retirou o pedido de punição aos ingleses em troca de liberação para a próxima convocação. Houve peso decisivo de uma articulação da Fifa e da Conmebol, além de pedido dos próprios atletas à confederação.

O imbróglio começou quando os clubes ingleses se recusaram a ceder os atletas para os três jogos das eliminatórias da Copa. A alegação era de que, com a quarentena imposta no país, eles perderiam jogos importantes. Entre os atletas, Gabriel Jesus, Ederson, Firmino, Fabinho, Alisson, Richarlison, Raphinha e Fred.

Sem os atletas nos jogos contra Peru e Chile, a CBF entrou com um pedido de punição de acordo com a legislação da Fifa. A entidade máxima do futebol determinou que eles não poderiam jogar no período de convocação e mais cinco dias. A exceção foi o Everton que não teve punição pedida.

Os clubes ingleses decidiram enfrentar a decisão: City e United estavam decididos a escala-los. A Fifa viu uma situação complicada porque teria de puni-los.

Com isso, começou uma articulação com a Conmebol, Chile, Paraguai, Colômbia e Brasil. A intenção era obter um acordo com os clubes e o governo ingleses.

Em paralelo, os jogadores da seleção ligaram para a CBF para pedir a retirada da ação para poderem atuar no final de semana. Com isso, a entidade entendeu que poderia fazer isso desde que tivesse uma contrapartida e fechou um acordo. O "GE" deu a informação primeiro do acordo, confirmada pelo UOL.

Para compensar, os clubes ingleses escreveram uma carta da boa vontade para a Fifa indicando que devem liberar os jogadores. Mas, para isso, há uma articulação com o governo inglês para dar uma exceção aos atletas da quarentena.

O acordo está alinhavado, e os jogadores foram liberados para atuar.

Rodrigo Mattos