PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Avisada de restrição, Argentina não informou CBF sobre jogadores 'ingleses'

Membro da organização de Brasil x Argentina tentou impedir ação da Anvisa - Reprodução/SporTV
Membro da organização de Brasil x Argentina tentou impedir ação da Anvisa Imagem: Reprodução/SporTV
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

07/09/2021 04h00

A CBF avisou por duas vezes à AFA (Associação de Futebol da Argentina) que havia uma nova regra no Brasil com restrições sanitárias para pessoas com origem na Inglaterra. Os argentinos, no entanto, não informaram que havia atletas deste país, nem pediram ajuda para resolver a questão. Um pedido de excepcionalidade poderia ter sido feito com antecedência como previsto em lei, a CBF obtivera aval igual.

Como informou em nota, a CBF enviou três cartas relacionadas à questão das restrições sanitárias por conta da pandemia de Covid. Houve um documento em 5 de julho para a Conmebol com o anexo da nova portaria 655 que estabelecia quarentena de 14 dias para quem chegasse da Inglaterra.

Em 11 de agosto, foi mandada nova carta para a AFA com o mesmo teor. De novo, em 2 de setembro, houve novo aviso para Conmebol, AFA e Federação Peruana.

A questão é que a Argentina não mandou um pedido para auxiliar a resolver questões migratórias. A CBF já tinha feito pedidos de autorização excepcional para jogadores brasileiros que vieram da Inglaterra para os jogos de maio e junho. E poderia fazer o mesmo para os argentinos, só que não foi avisada.

Em vez disso, os quatro atletas Emiliano Martínez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero não informaram que estiveram na Inglaterra anteriormente ao entrar no país, no dia 3 de setembro. No Brasil, com a crise instalada, houve um pedido de excepcionalidade para os atletas feito no sábado ao Ministério da Saúde. Foi rejeitado no domingo.

A discussão sobre a atuação da CBF no auxílio aos jogadores é importante para a apuração do caso na Comissão Disciplinar da Fifa. Pelos protocolos de jogos da Fifa na pandemia, as associação membros e confederações são "fortemente encorajadas a se engajar com diálogos com as autoridades competentes no país sede, e, quando possível, busca exceções para acordos com medidas que possam impactar a janela internacional".

Por isso, a CBF deve usar as cartas de aviso à Argentina como prova na Comissão Disciplinar da Fifa. O procedimento para apuração do jogo já foi instaurado pela entidade nesta segunda-feira. Não deve haver uma resolução rápida para o caso.

Procurada, a assessoria da AFA informou que não havia nenhuma pessoa para comentar sobre a posição da CBF de que avisara os argentinos sobre a legislação.

Rodrigo Mattos